Axway investe na oferta soluções de integração de dados

0
1

O crescimento de empresas que usam tecnologia para transformar e inovar seus negócios será principal fator que vai impulsionar o mercado da Axway, empresa que atua na oferta de soluções de transferência, integração e segurança da informação, que elegeu o Brasil e a Austrália, como os principais países para alavancar suas receitas nos próximos anos.

A informação é de Christophe Fabre, CEO da Axway Inc, que esteve no Brasil na semana passada para visitar clientes e parceiros de negócios, ocasião que anunciou investimento na expansão das atividades do escritório local, em São Paulo, (que completa um ano de funcionamento em setembro), na ampliação de seus parceiros de negócios, tanto do ponto de vista de quantidade como de cobertura geográfica.

Ele explica que o foco de mercado da Axway são empresas que tenham um grande fluxo de dados, como aplicações que usam integração de dispositivos móveis ou sensores (Internet das coisas), conexão com comunidade de parceiros, entre departamentos ou mesmo de pessoas para pessoas, o chamado middellware. ''Soluções que precisam de governança de dados, orquestração e segurança, todos orientados a negócios''.

Cristophe Fabre_A Axway reúne uma carteira de mais de 11 mil clientes em 20 países onde atua. ''Com a Scania estamos desenvolvendo um projeto de carro conectado. Com operadoras de energia, soluções de smart meter. Vários laboratórios farmacêuticos usam em projetos de rastreabilidade de medicamentos. Esses são exemplos de soluções onde a tecnologia digital está transformando os negócios das empresas'', enfatiza Fabre. No Brasil ela tem cerca de 120 clientes, entre os quais o Sem Parar, Boa Vista Serviços, FM Logistic, BMW, BNP Paribas, Allianz e Aztrazeneca.

Resultados

Fabre foi em 2003, o primeiro CTO da Axway, que nasceu na Franca, e logo começou a se expandir para outros continentes, começando ainda em 2003 para a Ásia e em 2005 para a Europa Oriental. Para atuar no mercado norte-americano, já na posição de CEO, ele se mudou para Phoenix, Arizona, para desenvolver o mercado daquele pais, maior consumidor mundial de tecnologia.

"Meu objetivo pessoal é gerar receitas superiores a US$ 500 milhões, transformando a Axway numa corporação internacional, inovadora no desenvolvimento de software, com uma equipe de talento, para que ela tenha um crescimento contínuo e estável', afirma.

As ações da empresa, no entanto, continuam ser listada na bolsa de valores europeia. No último semestre fiscal, encerrada em junho passado, ele teve receitas de 114,9 milhões de euros, com lucro líquido de 2,8 milhões de euros, 0,13 euros por ação. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o crescimento da receita total foi de 8%, sendo 9,5 originados de manutenção, 9,9% de serviços e 3,2% de novas licenças.

Questionado se o crescimento de vendas de licenças não foi tímido, Fabre diz que não está preocupado, pois a curva ascendente de crescimento será elevada. ''Na medida em que surjam as ''empresas digitais'', com modelos inovadores e novas tecnologias, como IoT, mobilidade, etc, elas vão precisar usar nossas ferramentas de governança e integração de dados'', confia o executivo.

Brasil

Para se expandir no mercado latino-americano, a Axway contratou em maio passado o executivo Marcelo Ramos, como vice-presidente sênior e gerente geral, que já atuou em empresas como Sterling Commerce, AT&T e IBM.
Até o ano passado a empresa tinha como distribuidor a SCI. Outra empresa, adquirida pela Axway em novembro de 2011, a Vordel, também tem uma revenda local, a SSA Software.

Ramos explica que pretende não só incrementar o serviço de atendimento aos clientes, mas também o ecossistema comercial no Brasil e México, países com maior base de clientes na região. Os segmentos de mercado prioritários são finanças, manufatura, saúde e bens de consumo.

Deixe seu comentário