Fortinet e IDC lançam ferramenta gratuita para avaliar nível de segurança das empresas

0
11

A Fortinet anunciou nesta terça-feira, 25, a disponibilidade do Indicador Digital de Segurança, uma ferramenta online de diagnóstico criada em parceria com a IDC que tem como objetivo ajudar as empresas a avaliarem sua capacidade de prevenção a ataques cibernéticos.

Para utilizar o recurso, basta que o representante da empresa (seja ela de pequeno, médio ou grande porte) visite o endereço http://www.securityindexlatam.com/, crie uma conta e responda às questões relacionadas ao nível de segurança da companhia. Ao terminar o questionário, o visitante recebe em tempo real um relatório com os resultados de sua avaliação e recomendações de especialistas sobre as medidas necessárias para aumentar o nível de segurança da rede, tendo como referência as melhores práticas de proteção.

O relatório tem como base três possíveis cenários de maturidade da segurança em TI, elaborados a partir das informações obtidas pela IDC na América Latina e o suporte de seus especialistas, e classifica as companhias em conservadoras, neutras ou inovadoras, de acordo com a estratégia de proteção adotada.

"Em um ambiente corporativo que engloba cada vez mais novas tecnologias, como dispositivos móveis, big data, computação na nuvem e redes sociais, para aumentar a produtividade e o crescimento dos negócios, é muito importante conhecer o grau de eficiência da atual estratégia de proteção de dados utilizada", ressalta Frederico Tostes, country manager da Fortinet. Segundo dados da IDC, o investimento em software de segurança no Brasil em 2015 deve crescer 13%, atingindo US$ 227 milhões, com as soluções para perímetro e compliance guiando essa demanda.

As informações coletadas pelo Indicador Digital de Segurança – que chega para identificar os fatores de risco e reforçar a estratégia e a arquitetura de segurança digital das empresas de forma integral – servirão como base para um levantamento que mostrará um panorama do nível de maturidade na área da segurança nas empresas da América Latina. Os dados recebidos são sigilosos e as informações sobre os procedimentos adequados são fornecidos apenas ao profissional que participou do estudo.

A iniciativa está disponível por um ano, sendo que cada seis meses, uma pesquisa sobre os dados agregados serão divulgadas abrangendo os segmentos de datacenter, cloud computing, mobile, redes sociais e serviços gerenciados de segurança, e também por países da América Latina.

Investimento

Segundo Frederico Tostes, country manager da empresa no Brasil, esse investimento reflete o bom momento que ela vive no Brasil, com crescimento da organização, que passou de 30 para 51 funcionários até o final do ano. Explicou ainda que a empresa cresceu 100% no último ano no país (globalmente ela faturou US$ 770 milhões no ano passado e deverá chegar a US$ 1 bilhão em 2015), pois adotou uma estratégia de crescimento regional no Norte e Nordeste, no Rio Grande do Sul, Brasília e Curitiba, para apoiar os hoje 600 canais de vendas ativas.

Explicou ainda que 75% de sua receitas tem origem n mercado enterprise, governo e telecomunicações,  e o restante em PMEs. ''A área de varejo também surpreendeu esse ano, com um crescimento acima da média".

Deixe seu comentário