Publicidade
Início ESG Airbnb, Latam e Enjoei são os e-commerces mais acessíveis do Brasil, revela...

Airbnb, Latam e Enjoei são os e-commerces mais acessíveis do Brasil, revela pesquisa inédita

0
Publicidade

Com o objetivo de analisar o nível de acessibilidade dos 30 maiores e-commerces que atuam no Brasil, a 2ª edição do Ranking de Acessibilidade Digital revelou que Airbnb, Latam e Enjoei ocupam o pódio como as plataformas mais acessíveis do país. A Apple e a Amazon Brasil completam o top 5. Essa pesquisa foi desenvolvida pela Yaman, empresa líder em engenharia e qualidade de software. O estudo utiliza como base as diretrizes de acessibilidade adotadas pela Web Content Accessibility Guidelines (WCAG), uma referência internacional no assunto.

Em uma escala de zero a 10, Airbnb teve a maior pontuação, com 9,82, seguido por Latam, com 9,65, e pela Enjoei, com 9,51. Primeiro lugar nesta edição do ranking, o Airbnb não figurava entre os melhores no ano passado, assim como Latam e Enjoei. A Apple, empresa campeã em 2022, ocupa o quarto lugar, com a avaliação de 9,47, e em seguida vem a Amazon Brasil, com 9,35.

O ranking anual é um indicador importante para empresas e consumidores que se preparam para a Black Friday, considerada a quinta maior data do varejo brasileiro, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, e para o Natal. A Black Friday deste ano ocorrerá no dia 24 de novembro e espera-se que suas promoções atraiam dois em cada três brasileiros, conforme afirmado pelo Google. As perspectivas são mais otimistas para 2023, após uma queda de 28% nas vendas online em 2022 em comparação com o mesmo período do ano retrasado. Essa foi a primeira vez desde 2010 que houve uma redução, de acordo com a Neotrust Serasa Experian. Para este ano, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico prevê um aumento de 10%.

Na visão do CEO da Yaman, Andrey Coelho, o trabalho serve como uma bússola de acessibilidade para orientar o ecossistema digital. “De um lado, as empresas conseguem ter um benchmark sobre o tema, e do outro, serve como um guia para quase 24% da população que possui algum tipo de demanda de acessibilidade, saber onde realizar suas compras na Black Friday com uma experiência mínima aceitável. É importante ressaltar que nosso objetivo não é classificar as melhores e piores empresas no comércio eletrônico, mas sim testar a experiência real em termos de acessibilidade”, reflete Andrey.

Diretrizes do Ranking

Elaborado com o objetivo de auxiliar principalmente os consumidores que buscam acessibilidade durante suas compras na Black Friday, o ranking avaliou apenas as versões web das plataformas. Portanto, a nota atribuída às empresas não reflete a acessibilidade em todos os canais digitais, mas sim a jornada de compra para o produto ou serviço escolhido.

O levantamento buscou analisar e testar o fluxo de compra completo, desde a tela inicial até a conclusão do pedido. As plataformas que interromperam essa jornada tiveram uma redução de 50% na pontuação obtida. Em alguns casos, a nota zero foi atribuída pois não possui os princípios e métodos de acessibilidade segundo as normas.

Como destacado anteriormente, o estudo utilizou como base as normas do WCAG mais recente, que estabelece as recomendações de acessibilidade digital em nível internacional, abrangendo pessoas com deficiência visual, de fala, física, cognitiva, linguística, de aprendizagem e neurológica. De acordo com essas diretrizes, a navegação na web deve seguir quatro princípios: ser perceptível, operacional, compreensível e robusta.

Acessibilidade digital: prioridade 

De acordo com o IBGE, aproximadamente 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, o que representa cerca de 24% da população total. Atualmente, está em tramitação no Senado Federal o Projeto de Lei 1090, que tem como objetivo alterar a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, a fim de “especificar recursos mínimos de acessibilidade nos sítios da internet”, conforme mencionado na ementa do PL. “Nosso Ranking é, acima de tudo, um convite à reflexão da importância de olhar com responsabilidade para esse assunto. Se você ainda não está acessível, melhore. E se você não é dez, tem espaço para melhorar”, completa Andrey Coelho. 

Abaixo, confira o ranking completo:

Posição E-commerce Nota
1 Airbnb 9,82
2 Latam 9,65
3 Enjoei 9,51
4 Apple 9,47
5 Amazon Brasil 9,35
6 Samsung 9,34
7 Mercado Livre 9,30
8 Elo7 9,27
9 Gran Cursos Online 9,22
10 iFood 9,12
11 Carrefour 9,07
12 Kabum 8,99
13 DrogaRaia 8,73
14 Booking 8,60
15 123 milhas 8,54
16 Lojas Renner 8,20
17 Dafiti 8,09
18 Magazine Luiza 7,76
19 Estratégia Concursos 7,46
20 Shopee 7,16
21 QConcursos 4,73
22 Voe Azul 4,53
23 Madeira & Madeira 4,41
24 Shein 4,17
25 Netshoes 4,16
26 AliExpress 3,96
27 Amazon 2,64
28 Americanas 0,00
29 Casas Bahia 0,00
30 O Boticário 0,00

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Sair da versão mobile