Publicidade
Início Newsletter (TI Inside) Temor do governo dos EUA emperra compra da divisão de servidores da...

Temor do governo dos EUA emperra compra da divisão de servidores da IBM pela Lenovo

0
Publicidade

A fabricante chinesa de PCs Lenovo e a IBM aguardam ansiosas pelo relatório com o parecer do Comitê de Investimentos Estrangeiros dos Estados Unidos (CFIUS, na sigla em inglês) que avalia a compra da divisão de servidores low-end da gigante de tecnologia, por US$ 2,3 bilhões. Mas, ao que tudo indica, o órgão ainda deve demorar um bom tempo para proferir uma decisão.

O acordo, firmado em janeiro, permanece sob análise do governo dos EUA, que investiga questões de segurança envolvendo servidores x86 da IBM, usados em redes de comunicações do país e em data centers que suportam as redes de computadores do Pentágono, segundo pessoas familiarizadas com o assunto informaram ao The Wall Street Journal.

Agências de inteligência dos EUA e membros do CFIUS estão preocupados com possíveis implicações à segurança nacional, e querem se assegurar que os servidores não serão acessados remotamente por hackers ou que tenham a manutenção comprometida. Mas o que mais preocupa as autoridades americanas é que a compra da divisão de servidores pela Lenovo possa dar acesso à China a backdoors — portas dos fundos, em tradução livre —, que permitem a invasão a sistemas para obter segredos ou o controle ilegal de computadores e, por conseguinte, o acesso às informações e arquivos neles contidos.

A Lenovo já enfrentou escrutínio semelhante quando comprou a divisão de computadores pessoais da IBM em 2005. Na época, o CFIUS aprovou o negócio mas mais tarde os militares do Pentagono alertaram o Departamento de Defesa sobre incidentes de segurança envolvendo os PCs, o que levou o Departamento de Estado a proibir o uso dos computadores da Lenovo em suas redes nos EUA e no exterior, conforme funcionários, atuais e antigos, relataram ao jornal americano.

A fabricante chinesa tem tentado persuadir os funcionários da CFIUS sobre a transparência do negócio, lembrando que ela não terá acesso a servidores de órgãos do governo, porque a IBM continuará como responsável pela manutenção.

As autoridades também estão um pouco inquietas com a possibilidade de venda de parte do portfólio da linha x86 que interliga clusters de servidores em conjunto para fazê-los operar como uma máquina mais potente, disseram as fontes. A Lenovo e a IBM, por seu lado, dizem que os servidores x86 utilizam tecnologia low-end desenvolvida por outras empresas americanas, e que a maioria dos servidores, incluindo os da IBM, são fabricados na China e contêm componentes chineses. A Lenovo ressalta que seus produtos são confiáveis e seguros, e que seus únicos objetivos são comerciais.

Apesar de a decisão vir se arrastando, o acordo é suscetível de obter aprovação, segundo as pessoas ouvidas pelo diário americano. A IBM e a Lenovo estão tentando responder principalmente às preocupações da CFIUS sobre a manutenção dos servidores. A fabricante chinesa reafirmou que a IBM continuará a responder pela manutenção após a venda, por meio de um contrato com duração de cinco anos, que poderá ser prorrogado.

Um porta-voz da Lenovo disse que o negócio continua caminhando bem e a previsão é que seja concluído até o fim do ano. A IBM, por sua vez, disse que as duas empresas apoiam o processo de revisão e esperam um resultado positivo.

Uma conclusão possível, segundo as pessoas que acompanham o assunto, é que o governo dos EUA poderia deixar de comprar servidores x86 da IBM, o que, de todo modo, não deve afetar muito o negócio. Em uma entrevista em janeiro passado, a vice-presidente da IBM para programas governamentais, Chris Padilla, disse que o governo dos EUA é responsável por uma parte relativamente pequena, de US$ 4,7 bilhões, do negócio de servidores da IBM.

Procurados, o CFIUS o Departamento do Tesouro, que supervisiona o comitê, disseram que não comentam casos específicos. O Pentágono também se recusou a comentar o assunto.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile