Cobol nas nuvens

3
12

A dobradinha Mainframe/Cobol sempre foi uma das mais movimentadas do mercado de TI, mesmo que essa história venha de longa data: há 50 anos. Aplicações desenvolvidas para mainframes em linguagem Cobol sempre foram extremamente seguras, rápidas na execução e tratamento de grandes volumes de informação, escaláveis e robustas o suficiente para suportar grandes operações. Dessa forma, a configuração foi adotada por grande parte de instituições com essas necessidades, em especial os bancos, seguradoras e empresas do mercado varejista.

Apesar do forte movimento do mercado pelo uso de aplicações em baixa plataforma nos últimos anos, Cobol seguiu firme. Tanto que atualmente, o Cobol está por trás de 70% das transações de negócios no mundo. E faz com que em um ano ocorra 200 vezes mais transações em Cobol do que buscas no Google e YouTube, juntos.

Hoje existe uma necessidade crescente para a transformação das aplicações Mainframe/COBOL em tecnologias modernas, envolvendo mobilidade, nuvem, acesso a dados em qualquer lugar, o que acabou criando um caminho sem volta, mesmo para os mais antigos defensores do Cobol. Essa necessidade é impulsionada por uma combinação de aumento de custos, crescimento de dados sem precedentes, a complexidade insustentável da arquitetura do aplicativo, e a crescente escassez de competências técnicas.

Para permitir que os aplicativos corporativos de grande porte possam ter a facilidade de explorar a agilidade e a redução de custos operacionais de ambientes distribuídos e/ou plataformas de computação em nuvem, uma das escolhas mais utilizadas é o da reescrita, ou modernização dos aplicativos.

A principal escolha pela modernização de aplicações COBOL está na velocidade do tratamento de grandes volumes de informação. A linguagem COBOL é fundamental para empresas que dependem desta rapidez para o sucesso em seus negócios.

Empresas tem utilizado a prática de tirar aplicações que rodam em Mainframe possam ser desenvolvidas e testadas em baixa plataforma, para depois serem publicadas em produção novamente no Mainframe. Mesmo que os dados estejam em formatos proprietários, existe a possibilidade de mudança para uma plataforma moderna e integrada às novas tecnologias. Essa estratégia favorece a agilidade na transformação das aplicações, sem onerar custos, prazos ou a segurança nos negócios para as empresas. O resultado, são soluções que rodam em .Net, Java e na nuvem, e são acessíveis por qualquer tipo de dispositivo móvel.

Os benefícios da modernização que os modelos em nuvem e as infraestruturas convergentes trazem para a TI das empresas são enormes. Sem contar o ganho de até 40% na produtividade do desenvolvimento de sistemas e a redução de até 70% nos custos operacionais com TI.

Cyro Coral, consultor de soluções da Micro Focus.

3 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente a empresa Micro focus, com objetivo de vender as suas ferramentas tenta mostrar uma necessidade de reescrever o código, mas existe soluções no mercado onde as empresas podem manter seu legado em cobol usufruindo dos recursos de nuvem.

  2. Olá Sergio, as soluções que você citou fazem parte de nosso portfólio.
    Acredito que você não tenha entendido o assunto principal deste artigo, que é a MODERNIZAÇÃO, ou seja, não tem nada a ver com reescrita.
    Nós da Micro Focus sempre oferecemos o que há de melhor em tecnologia para nossos clientes mas sempre modernizando o seu código, sempre aproveitando ao máximo de suas aplicações. A reescrita não faz parte de nossas ferramentas e nem parte de nossos planos.
    Espero que isso tenha esclarecido sua dúvida.
    Obrigado,
    Cyro Coral

Deixe seu comentário