Divisão de Rebocadores da Wilson Sons investe em IA para gerenciar ativos

0
0

Garantir uma manobra ótima, com maior segurança, mais eficiência e menor custo operacional são alguns dos benefícios gerados pela nova tecnologia de inteligência artificial (IA) desenvolvida pela Wilson Sons Rebocadores, empresa de apoio portuário do Grupo Wilson Sons. Inédito no mercado Brasileiro, o sistema já está rodando nos portos do Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES) e Santos (SP) e auxilia nas decisões de alocação de rebocadores em manobras da companhia.

A Wilson Sons Rebocadores prevê uma redução nos custos da operação com essa iniciativa pioneira, com a maximização do uso dos seus rebocadores e redução no consumo de combustíveis. "Inovação é uma questão estratégica para as companhias continuarem competitivas. Realizamos cerca de 60 mil manobras/ano e, com o uso de inteligência artificial, é possível tomar a decisão de forma mais ágil, deslocar o rebocador adequado, no momento ideal", destaca Elisio Dourado, gerente regional da empresa.

Para realizar o planejamento da manobra, a IA desenvolvida pela Wilson Sons Rebocadores analisa 14 parâmetros diferentes, como geolocalização dos diversos atores envolvidos (rebocadores, navio do cliente, terminal), características do navio, eficiência de consumo de combustíveis dos rebocadores, regulação de cada porto, entre outros itens.

Elísio Dourado explica que o sistema é retroalimentado com as informações das operações realizadas. Ou seja, a partir do aprendizado de máquina (machine learning), ele é capaz de otimizar seu próprio funcionamento. "O software registra os cenários pré-decisão e a decisão. E o algoritmo vai aprendendo com as soluções. Quanto mais informação, melhor fica o sistema", diz Dourado.

Segundo o gerente regional Yuri Fedoruk, a meta é implantar a IA em todas as 25 localidades onde a companhia atua no período de um ano. "A Wilson Sons construiu um sistema proprietário de Inteligência Artificial, um recurso inovador que é diferencial competitivo para a empresa", avalia o executivo. De acordo com ele, a IA pode de ser utilizada em diversas aplicações na companhia, com o potencial de ser estendida a outros usuários, gerando novas receitas.

O projeto começou a ser desenvolvido em setembro de 2018 no Tuglab, laboratório de inovação da companhia. O local reúne uma equipe multidisciplinar de especialistas que participou de todo o projeto do algoritmo capaz de atender às necessidades da operação com rebocadores.

O sistema foi alimentado com mais de 350.000 manobras que tinham seu histórico armazenadas na base de dados usada pela Central de Operação de Rebocadores (COR) da companhia. Inaugurada em 2012, a COR é responsável pelo monitoramento da frota de 75 rebocadores, distribuídos de norte a sul do país. A partir desses inputs, a IA se tornou capaz de tomar decisões guiadas pelos dados, sem necessidade de instruções previamente programadas.

"A inteligência artificial vem para aprimorar e apoiar o trabalho realizado pela COR. Os operadores ficarão liberados de ações repetitivas e processuais para se dedicarem às atividades mais complexas da nossa operação, que trarão mais valor para nossa empresa", avalia o diretor de operações da Wilson Sons Rebocadores, Marcio Castro.

O projeto é mais um passo da Wilson Sons no caminho da inovação. Em 2017, a companhia lançou o seu novo mapa estratégico, em que a inovação tem papel preponderante em todos os negócios e passou a ser uma agenda gerenciada pela alta administração da empresa. Desde dezembro de 2019, o Grupo também integra a lista de mantenedoras do Cubo Itaú, o maior hub de fomento ao empreendedorismo tecnológico da América Latina.

Deixe seu comentário