2021: um ano para rever sua arquitetura empresarial

0
41

"2020 foi um ano atípico. Um ano em que uma epidemia virou a sociedade e os negócios de ponta a cabeça. Mas não será um ano a ser esquecido. Ao contrário, deve ser lembrado como um período no qual muitos paradigmas foram quebrados e muitas lições foram e ainda hão de ser aprendidas".

Foi com essa mensagem que encerrei 2020.  

Dentre as tantas lições aprendidas destaco duas nesse início de 2021, um ano de esperanças, mas também de muitas incertezas. A primeira lição é que devemos estar preparados para mudanças as quais não estão sob o nosso controle. A segunda é que o uso da tecnologia nos negócios é inevitável. A relação de simbiose entre os recursos tecnológicos e modelos de negócio e gestão não é mais uma opção. É necessária para que as organizações possam ser robustas o suficiente para enfrentar desafios de forma sustentável. Não importa o seu tamanho ou o seu ramo de atuação. De uma organização sem fins lucrativos a uma corporação multinacional. Do varejo à manufatura, passando por serviços, saúde, educação ou conglomerados financeiros. Todas elas precisam estar atentas a este movimento.

Algumas estão preparadas, outras estão se preparando, mas a grande maioria ainda está enfrentando a paralisia, natural em momentos de crise. Empresas são ambientes complexos com conjuntos variáveis ??de capacitação, sistemas, aplicativos, processos e resultados finais, todos os quais devem ser conduzidos em conjunto para criar um ambiente produtivo.

Arquitetura empresarial, também chamada de corporativa, refere-se ao conjunto de sistemas que uma empresa usa para gerenciar seus negócios e operações. Isso inclui sistemas que fazem parte de aplicativos corporativos e aqueles que são complementos.

Uma revisão da arquitetura corporativa costuma ser mal interpretada como um projeto de TI. Na verdade, é um roteiro devidamente planejado que ajuda a moldar todo o ecossistema de uma empresa, reforçando a eficiência e a lucratividade do cenário de aplicativos corporativos atual e futuro da sua empresa.

Às vezes, sintomas claros de disfunção indicam a necessidade de uma revisão. Por outro lado, as organizações com um longo histórico de sucesso no uso de tecnologias e processos mais antigos nem sempre detectam que melhorias valiosas permanecem não realizadas em seu cenário atual de aplicativos corporativos. Semelhante a fazer um check-up com seu médico, uma avaliação visa melhorar a saúde de sua arquitetura, independentemente dos desafios que sua empresa enfrenta. As empresas de melhor desempenho agendam esses tipos de revisões anualmente, com o objetivo de identificar sintomas sutis, evitar problemas maiores e aproveitar proativamente os avanços em tecnologia o mais rápido possível. Por outro lado, empresas menores acham que esse assunto não é para elas e que tudo isso custa muito dinheiro. É um engano.

Todas as empresas enfrentam mudanças contínuas, e a maioria precisará evoluir substancialmente pelo menos uma vez – seja para ter sucesso no mundo digital, acompanhar as grandes mudanças do mercado ou responder a ameaças sérias e interrupções do setor. Uma revisão completa da arquitetura corporativa anda de mãos dadas com a evolução dos negócios, esclarecendo os objetivos e determinando o suporte arquitetônico que essas metas exigem.

O que você está esperando para conhecer esse assunto e transformar o seu negócio? 

Enio Klein, influenciador e especialista em tecnologia, vendas, experiência do cliente e ambientes colaborativos com foco na melhoria do desempenho das empresas a partir do trabalho em equipe e colaboração. CEO da Doxa Advisers e Professor de Pós-Graduação na Business School SP.

Deixe seu comentário