KORE lança plataforma de IoT para gestão de rede LORA

0
0

A KORE, lança a primeira plataforma no Brasil para gestão de conexões LORA. Trata-se de um CMS (Connectivity Management System) inteiramente focado em atender à necessidade das organizações em controlar e administrar os equipamentos e conexões de forma independente. Administrado via portal web é capaz de simplificar consideravelmente as operações em IoT.

"A KORA é a primeira plataforma no Brasil que se estende a gestão tradicional das redes de celulares e chega à rede LORA. Mais uma vez entendemos a necessidade do mercado e alcançamos uma tecnologia que gera um modelo de gestão estratégico e eficiente. A KORE foi a primeira empresa de conectividade IoT a distribuir a rede LORA no país. Hoje já atendemos mais de 50 organizações, em áreas como Smart Cities, Asset Tracking, Telemática, Recuperação de Veículos e Automação Predial", conta Sérgio Souza, vice-presidente sênior e manager diretor Brasil da KORE.

A nova plataforma, KORA, foi lançada no IoT Open Labs, em São Paulo. O centro de experiência e desenvolvimento de Internet das Coisas é uma iniciativa da American Tower em parceria com a Everynet e a BandTec Digital School. A proposta do IoT Open Labs é ser um local onde empresas parceiras, clientes, desenvolvedores e estudantes podem experimentar, interagir, testar e entender fim a fim as aplicações para Internet das Coisas funcionando em uma rede real. A ideia é promover o desenvolvimento de tecnologia para o ecossistema de aplicações e a formação de capital humano. Desta forma, a ATC reforça e amplia sua atuação como um dos principais players de compartilhamento de infraestrutura no setor de telecomunicações no país, explorando áreas que viabilizarão o crescimento mais rápido das soluções para IoT.

"Há um potencial significativo de crescimento de IoT no Brasil e para acelerar o desenvolvimento deste mercado é fundamental contar com parceiros com visão de complementaridade de tecnologias como fator potencializador de oportunidades, a Everynet nos acompanhou de perto no desenvolvimento da KORA. Na Europa e outros países, aplicações de baixo consumo de dados foram atendidas por redes de celulares 2G, graças à flexibilidade tributária e regulatória. Já no Brasil, essas aplicações apenas floresceram com a chegada das redes LPWA, razão pela qual a adoção tem sido muito rápida", comenta Sérgio Souza, vice-presidente sênior e manager diretor Brasil da KORE.

Presente em 220 cidades que representam 60% do PIB nacional e abrangendo cerca de 100 milhões de pessoas, redes como a LPWA (Low Power Wide Area), permite a implementação de aplicações com custos muito baixos de conectividade e sensores com baixo consumo de energia, cuja bateria pode durar mais de cinco anos dependendo da intensidade do uso. "Com isso, além de vermos um potencial significativo de crescimento no país, acreditamos também que podemos desempenhar um papel fundamental como provedor de infraestrutura de rede LoRaWAN neutra e compartilhada para as operadoras de telecomunicações, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento do IoT no Brasil", acrescenta Daniel Giorigini, gerente sênior de desenvolvimento de novos negócios da American Tower.

A tecnologia LoRa (Long Range) é um padrão aberto, que opera em frequência não licenciada (banda ISM, 900MHz) e permite a implementação de aplicações a custos muito baixos, tanto de conectividade como de sensores, com um baixo consumo de energia e baterias que podem durar até 10 anos dependendo do uso. Entre as aplicações mais promissoras para essa tecnologia estão aquelas para rastreamento de ativos e frotas, medição remota de energia, água ou gás, cidades inteligentes, smart building e agronegócio.

Deixe seu comentário