Perspectivas 2020 para o gerenciamento de data centers: IA e automação no centro das atenções

0
0

Estamos no meio de uma transformação tecnológica que o mundo nunca viu antes. Neste ano, os principais facilitadores dessa transformação ganharão impulso, e veremos atividade intensa nas seguintes áreas: inteligência artificial e machine learning, infraestrutura de automação, modelos de "everything as a service" e data center ecológico. Inovações nesses campos levarão a muitas mudanças interessantes na gestão dos data centers na década que se inicia.

Inteligência artificial e machine learning: a próxima evolução

Inteligência artificial e machine learning evoluíram significativamente, mas, agora, estamos realmente começando a ver os efeitos do que os sistemas inteligentes podem fazer. Nos data centers, os algoritmos criados para automação de tarefas e manutenção preditiva estão se tornando mais refinados, permitindo que os administradores se concentrem menos nas tarefas rotineiras e mais no planejamento futuro.

Conforme os algoritmos de AI e ML ficam mais refinados, a precisão melhora. Máquinas como UPSs inteligentes já podem nos alertar quando precisam de uma bateria nova ou nos dão a solução de problemas. No futuro, os algoritmos aproveitarão os dados históricos para prever com mais exatidão quando algo precisa de manutenção. Portanto, além de dizer que algo está prestes a falhar, os sistemas inteligentes podem minimizar as chances de falha graças aos modelos de manutenção preditiva orientada por dados.

Criação de infraestrutura de automação: sistema de autocura

Algoritmos de IA estão preparando o cenário para a automação completa da infraestrutura crítica, seja no data center, na edge ou nas salas de servidores locais. Em 2020, veremos um progresso real em direção à manutenção preditiva: os sistemas de "self-healing". À medida que aprendem com os dados que coletam, os algoritmos possibilitam que software, firmware e hardware acionem ações para corrigir um problema sem intervenção humana.

Os sistemas inteligentes de monitoramento e gerenciamento e os aplicativos de planejamento e modelagem já sabem quando se atualizarem sem intervenção humana, e agendam automaticamente as atualizações para quando elas tenham menos probabilidade de causar interrupções. À medida que se tornam mais autossuficientes, esses sistemas aumentam a eficiência operacional, liberando os administradores das tarefas diárias.

Modelos de "everything as a service" se tornam mais comuns

Agora, os modelos "as a service" são comuns nas soluções hospedadas e baseadas em nuvem. E, em 2020, esses modelos migrarão para o gerenciamento de infraestrutura. Os data centers, sites de ponta e outros componentes de ambientes híbridos de TI dependerão cada vez mais de modelos baseados em serviços que cobrem quase tudo, incluindo software, equipamentos de infraestrutura, segurança e manutenção.

Como funciona: sempre que precisar de um novo software ou equipamento, a empresa assinará um contrato com um fornecedor para obter a solução e mantê-la ao longo do tempo, solucionando problemas conforme necessário. Em vez de investimentos de capital de maneira antecipada, os clientes pagarão pelos serviços mediante assinatura. E, embora esses serviços venham de diferentes fontes, as organizações recorrerão cada vez mais a um único parceiro para gerenciar o processo e evitar adicionar complexidade à gestão de vários fornecedores. Como resultado, esse modelo de serviço liberará a equipe de TI para se concentrar em atividades de maior valor agregado e ter mais tranquilidade.

Crescimento de data centers ecológicos

Os data centers ecológicos estão na pauta da discussão há anos, mas, em 2020, devemos esperar um esforço sério para reduzir as pegadas de carbono. As tecnologias de IA e automação desempenharão um grande papel na sustentabilidade, melhorando a visibilidade dos dados e permitindo que os gerentes de data center ajustem seu consumo de energia e reduzam sua emissão de carbono.

Globalmente, existe muito interesse em data centers ecológicos, o que poderia levar a novos regulamentos de sustentabilidade. Mesmo sem regulamentos, mais e mais organizações buscam reduzir seus vestígios de carbono, em parte como resultado da pressão dos colaboradores, que preferem trabalhar para empresas socialmente responsáveis.

É provável que a pressão se intensifique à medida que a geração dos millennials passe a compor uma fatia maior da força de trabalho e pressione as empresas a adotar seus valores. De acordo com o IDC, 83% dos compradores de tecnologia responderam a uma pesquisa sobre modelos de consumo de compras que "possuem promessas ou programas de sustentabilidade", e 99% trabalham apenas com parceiros que têm compromissos com a sustentabilidade ou dão preferência àqueles com tais compromissos.

Uma nova década para o gerenciamento de data center

As perspectivas para 2020 são ótimas para os responsáveis pelos data centers que buscam otimizar ainda mais suas operações, liberando a equipe para alcançar um melhor equilíbrio entre vida útil e trabalho (nos últimos anos, os administradores de redes tiveram que dar conta de um trabalho de suporte 24×7 em data centers de missão crítica). A tecnologia está permitindo um gerenciamento mais inteligente e sustentável do data center por meio da automação e do melhor acesso aos dados.

Alan Satudi, IT Business Development Manager da Schneider Electric.

Deixe seu comentário