Indústria está dividida quanto à capacidade do Windows 10 impulsionar as vendas de PCs

0
0

Como sempre acontecia, cada lançamento de uma nova versão do Windows era comemorado pelos fabricantes de PCs, uma vez que ele funcionava como um impulsionador das vendas de computadores — bem como de toda a cadeia da indústria de tecnologia —, levando principalmente as empresas a iniciarem a substituição dos equipamentos obsoletos por novos. Mas, pela primeira vez, desde o surgimento do sistema operacional, em 1983, essa escrita pode não se confirmar.

Esta pelo menos a opinião de analistas e de parte dos próprios fabricantes de PCs em relação ao Windows 10, que será lançado na quarta-feira, 29. A avaliação geral é que dificilmente o novo sistema da Microsoft conseguirá reverter a desaceleração do mercado de PCs, que vem enfrentado dificuldades nos últimos quatros anos, em razão principalmente da imensa popularidade dos smartphones e tablets.

Este, no entanto, não é o único motivo para o pessimismo generalizado. As turbulências econômicas em vários países, somadas ao excesso de gadgets disponíveis no mercado e — talvez o principal — a decisão da Microsoft de, pela primeira vez na sua história, oferecer atualizações gratuitas do novo sistema operacional para quem já tem o Windows 7 ou Windows 8.1 instalados em seus computadores são alguns fatores apontados como determinantes para que a demanda por PCs permaneça retraída neste e nos próximos anos.

No passado, a Microsoft cobrava uma taxa para atualização de computadores antigos para a versão mais recente do Windows. Poucos consumidores optavam por pagar cerca de US$ 100 ou mais para fazê-lo e muitos decidiam comprar um novo PC.

A Microsoft não disse quantos proprietários de computador devem aproveitar a atualização gratuita. A empresa tradicionalmente faz cerca de dois terços de sua receita com o Windows a partir da venda para empresas, e há, também, um upgrade gratuito que pode incluir novas vendas de PC.

A Dell calcula que cerca de 60 milhões de seus computadores em uso podem se beneficiar da atualização gratuita para o Windows 10. Se os donos de metade desses equipamentos optarem pelo upgrade, em vez de comprar uma máquina nova, isso representará uma queda de 10% no mercado de PCs. De todo modo, a fabricante planeja lançar 13 modelos de computadores e tablets com o Windows 10 a partir desta semana. A empresa produziu oito novos modelos quando a versão atual do Windows foi lançada em 2012.

"Conflito de interesses"

O Gartner, por exemplo, estima que as vendas de PCs devem retomar o "crescimento lento e constante" no próximo ano, enquanto a IDC prevê que as vendas vão diminuir ligeiramente em 2016, seguido de "crescimento limitado" nos próximos anos. A IDC diz que as vendas de computadores pessoais vêm caindo ano a ano desde 2012, e recuaram mais que o esperado neste ano, que deve fechar dezembro com a remessa de cerca de 289 milhões de PCs, o que, se confirmado, representará uma queda de 21% em relação ao ano de pico da indústria, que foi 2011.

O fato é que a decisão da Microsoft de dar o Windows 10 de graça desloca o alinhamento tradicional de interesse financeiro entre a Microsoft e seus parceiros de negócio. Fabricantes de PCs e a Intel geram receita a cada novo PC vendido. A gigante do software está adotando a estratégia de ganhar dinheiro apenas uma vez, quando vende uma versão nova do Windows ou incluída a um novo PC, para gerar receitas a longo prazo com a venda de aplicativos, videogames e outros add-ons.

Executivos da indústria acreditam, porém, que algumas características do novo sistema operacional levarão as pessoas a adquirir computadores novos. O vice-presidente sênior da Intel, Kirk Skaugen, que comanda o negócio de chips para PCs e dispositivos móveis, disse que as vendas de novos PCs serão impulsionadas também por um novo chip da Intel, que será lançado em breve, e por elementos do Windows 10 que funcionam melhor em máquinas novas. "Para realmente tirar proveito do Windows 10, eles precisarão de um novo hardware", disse ao The Wall Street Journal.

Três anos atrás, quando a Microsoft lançou a versão atual do Windows, a empresa contava mais de mil novos modelos de computadores e tablets certificados para a nova versão. Na semana passada, o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, disse que os fabricantes de PC tinham "centenas de novos designs de hardware" desenvolvidos para o Windows 10, e o "primeiro destes novos dispositivos emocionantes vai estar disponível como o Windows 10 na data de lançamento do sistema".

Deixe seu comentário