Transformação digital deve receber mais investimentos pós-pandemia, revela pesquisa da Grant Thornton

0
32

Uma pesquisa realizada pela Grant Thornton Brasil, em parceria com a Live University, sobre os impactos da pandemia do novo coronavírus nas organizações, mostra que 260 respondentes de um total de 402 empresas elegeram a transformação digital como foco principal para seus investimentos pós-covid.

 "Esses resultados refletem, em grande parte, as mudanças nos hábitos dos consumidores causadas pela pandemia, período no qual uma parcela expressiva das transações comerciais e financeiras, antes realizadas presencialmente, passou a ser feita remotamente, por meio de plataformas digitais de interação com os clientes", explica João Rafael, sócio líder da área de Capital Markets da Grant Thornton Brasil.

Para Maurício Castro, sócio da área de Transformação Digital da Grant Thornton Brasil, a transformação digital passou a ser uma questão de sobrevivência para todas as empresas, independentemente do setor ou de seu tamanho. "O mundo mudou e se tornou mais digital. Em poucos meses, grande parte da população, em isolamento social, se viu obrigada a se adaptar a hábitos completamente fora de sua rotina. As pessoas passaram a trabalhar, comprar, cuidar da saúde, estudar sem sair de casa. No entanto, as empresas, em sua maioria, não tiveram tempo hábil para se preparar para atender a essa nova demanda", afirma.  Segundo Castro, não se trata apenas da adoção de tecnologia pela empresa, e sim de se adaptar à nova forma de trabalho – venda, atendimento, logística, enfim, todo o trabalho de back office –, sem perder eficiência e competitividade. "Isto não se faz do dia para a noite", avalia.

Com relação ao futuro, o executivo acredita que no período pós-pandemia, o que deve garantir a sobrevivência das empresas é a inovação, baseada em tecnologia. "O setor de turismo, por exemplo, um dos mais afetados pela pandemia, terá de buscar alternativas e se reinventar. Talvez, com a chegada do 5G, passar a oferecer pacotes criados a partir da realidade virtual, ou seja, buscar opões realmente inovadoras", finaliza.

Retomada da Economia

Há uma tendência a acreditar que o período de recuperação dos impactos da covid-19 deve ocorrer em pelo menos um ano, previsão feita por 66% das respondentes. E essa expectativa é relativamente compartilhada por empresas de todos os portes e de todos os setores.

Entre os principais desafios observados e lições aprendidas durante essa crise, a grande maioria dos respondentes indicou a elaboração de um cenário pós-crise como o principal desafio a ser enfrentado. A afirmação foi feita por 164 de um total de 402 empresas pesquisadas. E a maior dificuldade em elaborar esse cenário foi detectada, sobretudo, nas micro e pequenas empresas do setor de serviços.

Deixe seu comentário