Barreiras contra a industrialização e infraestrutura podem reduzir os benefícios econômicos da 5G na América Latina

0
24

Uma transformação digital mais profunda com o ambiente tecnológico 5G e a adoção das melhores práticas para a implantação de infraestrutura móvel ajudarão as economias latino-americanas a conquistarem benefícios econômicos duradouros. A 5G Americas publicou seu relatório "Implementação de redes 5G na América Latina: recomendações para fomentar sua implantação" que reúne práticas e de políticas públicas para o desenvolvimento de infraestrutura de telecomunicações móveis, com base nas barreiras identificadas na região.

O estudo demonstra que existem diferentes projeções internacionais sobre as oportunidades econômicas atribuídas a 5G e que, embora se diferenciem nos valores estimados, há convergências na ideia de que as contribuições para a economia seriam explicadas pela adoção deste ambiente tecnológico por diversos setores industriais, como complemento dos serviços ao grande público. Essencialmente, diferentes ramos industriais poderão implementar soluções 5G que já são conhecidas por promover eficiência e maior produtividade em alguns de seus processos. Portanto, para obter os benefícios econômicos duradouros com a 5G é preciso que o país conte também com um desenvolvimento industrial robusto.

"Para as administrações nacionais, as políticas que incentivam a evolução das redes móveis serão importantes para contribuir com elementos que impulsionarão a recuperação econômica, no contexto da pandemia de Covid-19, além de lançar as bases para uma infraestrutura digital mais robusta. É importante detectar padrões ou processos obsoletos nos diferentes níveis de governo que possam ser melhorados, a fim de estabelecer critérios consistentes com os objetivos de acabar com a exclusão digital e elevar a qualidade dos serviços", afirmou José Otero, vice-presidente da 5G Americas para a América Latina e Caribe.

Entre os exemplos descritos no relatório estão padrões ágeis para instalação de small cells, mimetismo de antenas, homologação de normas de instalação em prefeituras e silêncio administrativo positivo.

Os mecanismos de atribuição de espectro (concursos, licitações, leilões) também são um elemento em que podem surgir barreiras para a instalação de infraestruturas, visto que se trata de um insumo essencial para as redes sem fio. As licitações com preços elevados para o espectro ou com compromissos excessivos podem desencorajar a participação e a exploração desse ativo raro.

Na América Latina e no Caribe, as redes 5G já estão disponíveis desde 2019, mas se encontram em uma fase de crescimento, enquanto a LTE é a tecnologia de banda larga móvel predominante. Tanto a iniciativa privada quanto os governos têm apresentado publicamente testes relacionados a 5G para aplicações massivas e industriais (por exemplo, redes privadas) que demonstraram as oportunidades que essas redes podem oferecer à região, por isso é fundamental estabelecer as políticas adequadas para promover os investimentos que o ambiente tecnológico da 5G exigirá.

Deixe seu comentário