Natura aumenta em 65% vendas on-line

0
338

Nesta sexta-feira, 28, a Natura lança o Relatório Anual integrado de 2020 dentro dos padrões da Global Reporting Initiative, GRI, com informações detalhadas de sua operação. Em um ano com desafios sem precedentes, devido à pandemia causada pela Covid-19, a empresa acelerou o processo de digitalização, aumentando em 65% as vendas on-line e chegando a 1,3 milhão de espaços digitais de Consultoras de Beleza, o dobro do ano anterior.

Em 2020, a Natura apoiou sua rede com mais de R$ 24,1 milhões em doações de produtos e transferência de renda, beneficiando mais de 1,3 milhão de pessoas. Além disso, aumentou em 37% o número de famílias fornecedoras na Amazônia e ampliou para 2 milhões de hectares a área de floresta que a companhia contribui para conservar. Ainda em 2020, integrou processos de gestão com a Avon, adquirida pelo grupo Natura &Co em janeiro.

"Foi um ano em que agimos com coerência, com ênfase para o nosso propósito de gerar impacto positivo, diante de um cenário extremamente desafiador, que testou as noções do que é prioritário para governos e sociedades. No nosso caso, o foco se manteve claro: cuidar das pessoas", afirma João Paulo Ferreira, presidente da Natura e CEO do grupo Natura &Co para América Latina. "Do ponto de vista dos negócios, foi um ano em que aprendemos a criar oportunidades de forma ágil e alcançamos um desempenho acima do mercado, ao mesmo tempo em que atingimos sólidos resultados socioambientais", complementa.

Para a Natura, o ano ainda foi marcado pelo encerramento do primeiro ciclo de ambições da Visão 2050, traçado em 2014, e que estabeleceu compromissos para a companhia se tornar geradora de impacto positivo. Ao final desta primeira etapa da jornada, 83% das ambições foram alcançadas, com evoluções em temas como diversidade, geração de valor para as consultoras, promoção da bioeconomia amazônica por meio da relação com as comunidades fornecedoras e do aumento do uso de ativos da sociobiodiversidade, além de avanços relevantes em circularidade com a estruturação de cadeias de reciclagem e uso de materiais reciclados e recicláveis.

"Realizamos uma grande mobilização nesse ciclo de seis anos da empresa. Superamos metas importantes de negócio e ao mesmo tempo avançamos em temas estratégicos na nossa visão de transformar a Natura em uma empresa geradora de impacto positivo", destaca João Paulo Ferreira.

Entre as metas alcançadas no primeiro ciclo da Visão 2050 da Natura estão:

  • Movimentar R$ 1bilhão em volume de negócios na região Pan-Amazônia. A meta foi superada em 2017 e, em 2020, o volume de negócio no bioma chegou a R$ 2,1 bilhões de reais;
  • Equidade de gênero em cargos de diretoria e acima. Atualmente, a empresa conta com 51% de mulheres na liderança;
  • Evoluir indicadores de desenvolvimento humano e social de comunidades parceiras da marca. Hoje a Natura conta com métodos de mensuração como o Índice de Progresso Social (IPS) para aferir o desenvolvimento de territórios;
  • Diversificação de fontes de energia renovável, graças a política integrada que inclui eficiência energética e energias renováveis;
  • Criar indicador de desenvolvimento humano para a consultora. Hoje o Índice de Desenvolvimento Humano da Consultora Natura (IDH-CN) é adotado no Brasil e na América Hispânica e direciona nossos esforços em aumentar o impacto positivo na rede.
  • Manter 100% de compensação de emissões de GEE na atmosfera. Além da compensação, Natura lançou a plataforma Compromisso com o Clima para mobilizar outras empresas a fazerem o mesmo; hoje já são 8 parceiros envolvidos.
  • Coletar e reciclar 50% dos resíduos gerados pelos produtos (Natura Brasil). Para mitigar efeitos da pandemia que limitarão ação de cooperativas de reciclagem, a marca realizou compra complementar de créditos de logística reversa para alcançar a meta;
  • Alcançamos a meta de incorporar 10% de material reciclado pós-consumo nas embalagens da Natura no Brasil.

A Natura também foi pioneira em estruturar o primeiro modelo integrado de valoração das externalidades socioambientais, o IP&L (Integrated Profit and Loss). Trata-se de uma ferramenta estratégica para tomada de decisão que mensura, em valores monetários, os impactos ambientais, sociais e humanos do negócio. Os resultados do IP&L e os aprendizados do primeiro ciclo da Visão 2050 da Natura suportarão decisões de negócio futuras rumo à geração de impacto positivo.

A Visão 2050 da marca Natura inspirou o grupo Natura &Co no desenvolvimento de seu "Compromisso com a Vida", plano estratégico de sustentabilidade que visa engajar as quatro empresas do grupo – Avon, Natura, The Body Shop e Aesop – e intensificar ações para enfrentar alguns dos problemas mais urgentes do mundo: a crise climática, a proteção da Amazônia, a defesa dos direitos humanos e o impulso à economia circular e à regeneração. Os aprendizados do período contribuíram para a definição dos objetivos expressos no Compromisso com a Vida, lançado em junho de 2020 pelo grupo.

Deixe seu comentário