FBI impede ataque de ransomware à Telsa no valor de US$ 4 milhões

0
85

Na semana passada, o Federal Bureau Investigation (FBI) dos Estados Unidos desvendou uma queixa criminal contra um conspirador que tinha um plano de ransomware frustrado contra a fabricante de carros elétricos Tesla.

Em 22 de agosto, o FBI prendeu o cidadão russo de 27 anos Pavel Kriuchkov em Los Angeles, que supostamente passou grande parte do mês nos Estados Unidos tentando recrutar um funcionário da Tesla no local da Gigafactory, em Nevada, para conspirar em um nefasto "projeto especial."

Esse "projeto especial" veio com um incentivo lucrativo – um suborno de US$ 500.000, mais tarde aumentado para US$ 1 milhão. Um pequeno pagamento adiantado deveria ter sido pago na carteira de Bitcoin (BTC) do funcionário, instalada usando um navegador Tor para evitar a detecção.

Em troca do suborno, o funcionário foi convidado a ajudar na instalação de um ataque de malware direcionado contra a Tesla – uma trama de dois estágios envolvendo um ataque distribuído de negação de serviço, seguido por uma extração de dados confidenciais da empresa.

O plano envolvia o funcionário da Tesla inserir malware fornecido por Kriuchkov e seus associados nos sistemas do fabricante de carros elétricos. Depois que o malware é inserido, ocorre um ataque distribuído de negação de serviço (DDoS) que pode permitir que os hackers ocupem a equipe de segurança de informações da Tesla. O malware também permitiria aos hackers extrair dados corporativos e de rede, que seriam mantidos em resgate até que o fabricante do carro elétrico pagasse. Por sua participação na trama, o funcionário da Gigafactory Nevada receberia US$ 500.000, posteriormente aumentados para US$ 1 milhão, a serem pagos em dinheiro ou bitcoin.

Deixe seu comentário