Empresas com maturidade digital expandem infraestrutura digital 4 vezes mais rápido que nos níveis pré-pandemia

0
5

O mais recente Global Interconnection Index (GXI Vol. 5), um estudo anual de mercado publicado pela Equinix, revela que a pandemia forçou a economia a intensificar o digital, com líderes digitais, as empresas que já estavam implementando uma estratégia prioritariamente digital, avançando quatro vezes mais rápido do que nos níveis antes da pandemia. Essas empresas comprimiram o tempo para implantar suas infraestruturas digitais em várias regiões, expandir para vários locais na edge e integrar várias clouds — o que poderia ter levado dois anos, agora é possível em 6 meses.

"Embora a Covid-19 tenha forçado as empresas a inovar de muitas maneiras, seja expandindo os serviços digitais existentes ou introduzindo novos serviços digitais, a infraestrutura que sustenta esses serviços deve manter seu ritmo", afirma Claire Macland, vice-presidente sênior de Marketing da Equinix. "Com isso, empresas experientes estão agora avançando quatro vezes mais rápido do que nos níveis pré-pandemia na implantação da infraestrutura digital necessária."

Esse ritmo acelerado de transformação digital continuará fomentando o rápido crescimento da velocidade de interconexão. De acordo com o GXI Vol. 5, a velocidade de interconexão global, a medição de conectividade privada em que dados são transferidos entre organizações, atingirá mais de 21.485 terabits por segundo (Tbps), ou 85 zettabytes por ano até 2024, representando uma taxa composta de crescimento anual de cinco anos (CAGR) de 44%.

As Américas representam a maior região em termos globais, contribuindo com 47% da velocidade de interconexão, e se espera que cresça a uma taxa composta anual de 43%, alcançando mais de 10.156 Tbps até 2024. Esse crescimento está alinhado com a demanda cada vez maior pela infraestrutura digital necessária para migrar mais negócios para o mundo online, facilitar a integração eletrônica com parceiros e cadeias de fornecimento, bem como alcançar mais pessoas em ambientes de trabalho híbridos distribuídos geograficamente.

O GXI também revela que, dentre todas as regiões, São Paulo é a área metropolitana core que cresce mais rapidamente, atingindo uma taxa composta de crescimento anual de 50% em quatro anos, com empresas — particularmente de serviços financeiros — puxando esse crescimento. A Equinix classifica como áreas metropolitanas core os locais escolhidos pelas organizações para distribuir infraestrutura central devido à grande presença de redes, provedores de cloud e serviços de TI. São Paulo é a única área metropolitana core da América Latina.

"São Paulo tornou-se o principal centro da economia digital na América Latina. Além dos serviços financeiros, a velocidade de interconexão dos provedores de cloud e serviços de TI continuará intensa nos próximos anos. Para atender essa alta demanda, já temos cinco data centers da Equinix somente nesse mercado estratégico e planejamos contar com mais dois", conta Eduardo Carvalho, presidente da Equinix Brasil.

Além das regiões core, há áreas metropolitanas de edge, locais usados principalmente como interface entre os mundos físico e digital, à medida que as organizações se conectam com clientes, dispositivos de edge e locais de negócios e participam de marketplaces locais. Nas Américas, a Cidade do México é a segunda maior área metropolitana de edge e a que mais cresce, impulsionada pelos serviços financeiros. A taxa composta de crescimento anual prevista para os próximos cinco anos é de 57%.

Entre os setores de todas as regiões, os serviços financeiros devem utilizar mais de 50% da velocidade de interconexão empresarial, com a manufatura vindo em segundo lugar. O setor público, os setores de saúde, ciências da vida, serviços industriais e transportes devem ter o crescimento mais rápido em infraestrutura digital, com estimativa de impulsionar em 48% ou mais a taxa composta de crescimento anual na velocidade de interconexão de 2020 a 2024 no mundo todo. Antes defasados na adoção de interconexão, esses setores passaram a liderar no índice de crescimento da interconexão como resultado da pandemia.

Empresas estão migrando para a edge

Cerca de 30% da infraestrutura das empresas implantada em instalações carrier-neutral migrou para a edge, ficando mais próximas de pontos de consumo de dados. Os provedores de serviços também estão se expandindo na edge, aumentando sua infraestrutura de edge 2x mais rápido do que sua infraestrutura principal, o que lhes permite atender à crescente demanda das empresas.

Os líderes digitais estão se interconectando com dez vezes mais parceiros, sendo capazes de aproveitar a transformação digital e desfrutar dos melhores serviços fornecidos por um vasto grupo de provedores e parceiros. Essa tendência foi acompanhada em empresas tradicionais, nascidas na cloud, provedores de serviços e até provedores hiperescala de 12 setores e três regiões.

"Empresas que adotaram uma estratégia digital abrangente como um pilar principal de negócios — conectando-se e utilizando plataformas digitais com parceiros, ecossistemas e clientes, emergem com força como inovadoras líderes de mercado. A adoção de plataformas e serviços digitais é essencial para alcançar o nível de agilidade e resiliência necessários para ultrapassar e superar as concorrentes em inovação", comenta Courtney Munroe, vice-presidente de Worldwide Telecommunications Research da IDC.

Deixe seu comentário