Com o título de cidade inteligente, São José dos Campos investe em IoT

0
228

O município de São José dos Campos, localizado no interior do Estado de São Paulo, será o primeiro do Brasil a ser certificado como Cidade Inteligente (Smart City). Para a certificação, a cidade adotou dispositivos tecnológicos que usam Internet das Coisas (IoT) como os desenvolvidos pela startup Sigmais.

O processo de certificação é uma iniciativa inédita no Brasil e traz expectativas de que, no futuro, o conceito de smart city seja mais conhecido e implementado por outras cidades brasileiras.

Smart Cities

Com apenas 79 cidades certificadas no mundo todo, o conceito de 'Cidade Inteligente' surgiu na década de 90 e passou a se tornar essencial no decorrer dos anos com o avanço da tecnologia e a migração, cada vez maior, da população para os centros urbanos.
Até 2050, segundo estimativa da ONU, aproximadamente 70% da população mundial viverá em grandes cidades. 

Embora o conceito seja relativamente novo, para se tornar uma cidade inteligente, um município precisa adotar uma série de medidas que utilizem recursos tecnológicos para melhorar e transformar a qualidade de vida de seus moradores e do meio ambiente.

As Smart Cities estão presentes em países desenvolvidos como Estados Unidos, Inglaterra, Japão, Áustria e Dinamarca. Em 2019, a capital da Inglaterra, Londres, foi eleita a cidade mais inteligente do mundo pela IESE Center for Globalization and Strategy.

1ª Cidade Inteligente do Brasil

No Brasil, para requerer a certificação de 1ª Cidade Inteligente, São José dos Campos investiu em recursos tecnológicos em todas as áreas da gestão pública como saúde, educação, mobilidade urbana e segurança pública.

Entre as iniciativas, a cidade conta com o uso da tecnologia IoT cuja responsável pela instalação foi a startup Sigmais. Em um período de apenas três meses, ela colocou mais de 4 mil dispositivos que recebem o nome de Sigpark. Estes informam aos motoristas onde há uma maior concentração de vagas livres para estacionar pelas ruas da cidade.

"Como 25% do tráfego brasileiro é composto por motoristas em busca de lugar para estacionar, a solução ajuda a reduzir o fluxo de automóveis, pois monitora remotamente o local e aponta a existência das vagas", detalha Guilherme Azevedo, fundador e CTO da Sigmais.

Dispositivo inteligente sinaliza vagas livres

Os dispositivos Sigpark utilizados em São José dos Campos têm o propósito de utilizar Internet das Coisas para oferecer um serviço de coleta e monitoramento de dados mais relevante e confiável para melhorar a qualidade de vida dos habitantes da cidade.

O objetivo de colaborar com soluções para o avanço tecnológico de cidades motivou a Sigmais a se empenhar ao máximo no projeto em São José dos Campos. "A IoT pode ser inserida nas cidades em diferentes áreas para beneficiar as pessoas. Em resumo, ela pode ser utilizada para obter dados e resolver grandes desafios na infraestrutura de um município", esclarece Azevedo.

Outros recursos da IoT para as Cidades

Outra possibilidade no quesito tráfego urbano é o monitoramento do trânsito, possibilitando obter informações sobre o fluxo de veículos remotamente. Isto permite fornecer dados para autoridades em tomadas de decisão.

Além de melhorar o movimento de veículos, diferentes aspectos da vida de uma cidade podem ser beneficiados com os recursos da IoT.
Para se ter uma ideia, só na Sigmais são disponibilizados seis tipos de dispositivos que realizam atividades como leitura de medições de água e gás em residências e condomínios até o monitoramento de máquinas em indústrias.

Outro uso que colabora para a rotina das pessoas em centros urbanos é a medição de temperatura de câmaras frias como geladeiras de supermercados e até mesmo da indústria farmacêutica.

"Com a solução para medir a temperatura das câmaras no que a gente chama de 'cadeia frio', por exemplo, podemos utilizá-la, de maneira positiva, para armazenar medicamentos e contribuir para a gestão da saúde. ", informa Azevedo.

Atualmente, além de São José dos Campos, a Sigmais têm dispositivos, que contemplam seus produtos de IoT de seu portfólio, em outras cidades do Brasil, América Latina e Estados Unidos.

Mercado de soluções para as Smart Cities

Ainda que relativamente novo, o mercado de soluções tecnológicas para Smart Cities já movimenta globalmente cerca de US$ 408 bilhões por ano, de acordo com publicações da ENEL-X.

As soluções têm como objetivo promover o desenvolvimento econômico sustentável e melhorar a qualidade da vida urbana.
A metodologia para conquistar uma certificação desse porte, por ser inédita no país, exige indicadores padronizados e consistentes para que possam ser mensurados o seu desempenho.

"A ABNT participou de maneira ativa na elaboração e disseminação das normas NBR ISO e está desenvolvendo, em parceria com o Parque Tecnológico e com a Prefeitura de São José dos Campos, a primeira certificação nacional para cidades inteligentes, garantindo um processo totalmente independente de qualquer setor público ou privado", afirma Mário William Esper, presidente da ABNT.

Deixe seu comentário