fuse IoT adota estratégia para ampliar aplicação de IoT por pequenas e médias empresas

1
36

Pesquisa realizada pelo Gartner, no final do ano passado, mostrou que apesar dos impactos financeiros causados pela Covid-19, 47% das companhias de diferentes setores no mundo planejam aumentar os investimentos em IoT. Indicou também que os gastos mundiais com equipamentos eletrônicos e de comunicações para dispositivos de IoT, atingiram US$ 14,7 bilhões em 2020, número que representa um crescimento de 6% e relação ao ano anterior.

Com a chegada e disseminação do 5G no mercado nacional, a tendência é que as aplicações financeiras em IoT se multipliquem ainda mais. A fuse IoT, empresa focada na criação e implementação de soluções de Internet das Coisas (IoT), acredita que a adoção de dispositivos IoT crescerá significativamente no mercado brasileiro não só pelas grandes empresas, mas também pelas pequenas e médias companhias, que poderão investir em soluções IoT com sua plataforma unificada de dados.

A transmissão de maior quantidade de dados, com tempo de resposta dez vezes menor do que o da rede 4G, além de conexões simultâneas, com menor consumo de energia, já é uma realidade em países como China, Coréia do Sul e Reino Unido. "No Brasil, a adoção da tecnologia IoT ainda é incipiente, apesar de todo seu potencial, para ajudar as empresas a inovar e transformar digitalmente a vida em sociedade, porque falta largura de banda e latência para garantir melhor desempenho dos dispositivos", diz Murilo Silva, sócio-diretor da fuse IoT.

Segundo ele, a expectativa é que a vinda do 5G possa ajudar a tornar algumas demandas factíveis, mas é preciso compreender que o IoT vai além dessa entrega e projetos customizados com esta tecnologia podem se tornar acessíveis inclusive para o mercado de Pequenas e Médias Empresas (PME's).

A fuse IoT está pronta para apoiar a ampla adoção de IoT pelas PME´s, com uma estratégia de implementação de projetos as a service, que incluem monitoramento de dados em tempo real por meio de uma plataforma única e treinamento dos profissionais. "A competição entre as PME's será maior e o novo modelo de negócios oferecido pela fuse IoT será entregue com um pacote de serviços completo, com treinamento, suporte e entrega de valor que se faz na ponta. Vamos facilitar de forma significativa os projetos esse nicho de mercado, de acordo com a demanda de cada cliente", afirma Silva.

A fuse IoT tem a missão de fomentar a cultura digital em empresas de todos os portes, mas devido à maior dificuldade de acesso às informações e implementação de projetos nas pequenas e médias empresas, constatou-se que era necessário ter uma estratégia diferenciada para este segmento.

Outra tecnologia que será beneficiada é a Realidade Aumentada (RA), que oferece experiências mais instigantes. O fato é que as empresas precisarão investir nestas tecnologias e a fuse IoT poderá orientá-las melhor para a tomada de decisão a fim de que obtenham maior agilidade de processamento e de respostas até duas vezes mais rápidas das soluções de Inteligência Artificial. "Essas tecnologias podem trazer boas oportunidades para os negócios, aumentar a competitividade e ainda proporcionar uma melhor experiência do cliente, com mais segurança e agilidade no tratamento dos dados também entre as PME's", ressalta Silva.

A adoção conjunta de estratégias de uso de IA e de 5G pode propiciar respostas em tempo real e mais agilidade no envio de dados e a conexão de dispositivos IoT, melhorando o funcionamento remoto de geladeiras, semáforos inteligentes e veículos autônomos, entre outros, e de sistemas, produtos e serviços da indústria 4.0, da agricultura de precisão, de procedimentos médicos etc. "Apesar dos desafios de distribuição de redes de conexão pelo Brasil, o uso do 5G, em alguns casos, poderá melhorar a qualidade da imagem transmitida, on-line e sem atrasos. Será um passo na direção do fomento dessa cultura tecnológica para a população, e um passo que reforçará ainda mais a competitividade e a concorrência", reforça.

De acordo com ele, quando se fala em IoT, utilizando Inteligência Artificial e conexões 5G, se obtém soluções com mais conectividade e integração. Mas é possível utilizar diversos mecanismos, plataformas e inteligência de dados para viabilizar projetos de IoT, que já resultam em redução de custos, aumento da produção, agilidade e redução de erros e riscos. Se as soluções de IoT forem utilizadas em sistemas na Nuvem, poderão ser ainda melhores, já que os sensores conectados na rede 5G ou em outras redes de IoT podem ser alimentados por soluções de Inteligência Artificial (AI) mais ágeis e assertivas.

Ecossistema

A tecnologia 3G migrou para a 4G, com uma banda mais larga e maior velocidade, mas com o mesmo ecossistema. O 5G apresenta uma nova programação, em um novo ecossistema. Nesse ponto, as empresas da tecnologia possuem um papel importante, que é o de ajudar as companhias de telecomunicações a modernizarem suas plataformas e operações, por meio da arquitetura de redes e ferramentas de gestão com base em padrões abertos. O novo padrão permitirá a competição entre vários players, o que vai incentivar o processo de inovação e a busca por soluções mais rápidas para os usuários. Os novos modelos de negócios envolverão tecnologias como inteligência artificial, blockchain, automação baseada em modelos analíticos e preditivos, que trarão mais agilidade e eficiência.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário