Cloud computing: três tendências que estarão logo aí

0
173

Não há dúvidas de que a adoção da computação em nuvem cresce  exponencialmente e seguirá crescendo nos próximos anos como uma opção melhor aos ambientes físicos, sejam eles terceirizados em data centers tradicionais ou alocados dentro de casa. Como resultado disso, dados do IDC Brasil projetam que a procura por serviços gerenciados em Cloud tenha um aumento de 30% no período de 2020 a 2024, enquanto outros serviços tradicionais de infraestrutura de TI devem ter alta de menos de 10%. Esse avanço acelerado certamente trará uma série de benefícios para as organizações, mas ao mesmo tempo serão ampliadas as dificuldades de gerenciamento de ambientes que só ganham novas camadas de complexidade a cada ano.

Afinal, a utilização de múltiplas nuvens traz com ela a necessidade de um controle muito mais efetivo sobre os recursos, com otimização de capacidade e gestão de custos. Quanto mais evoluem as possibilidades na nuvem e a mescla de ambientes, maior a necessidade de parceiros que guiem as empresas nesse caminho, os chamados Cloud MSP – Managed Service Providers. São eles os responsáveis pela contínua modernização da infraestrutura, pela análise de possibilidades de redução de custos e pela automação nos processos de TI.

Com o mercado de Cloud a todo vapor, são esses especialistas que conduzirão as empresas pelas transformações e tendências pelas quais a computação em nuvem passará. Três delas, inclusive, serão realidade em um futuro bem próximo e já precisam estar no radar das organizações no momento de contratar o serviço de Cloud MSP:

  • Modernização da infraestrutura de TI: Os MSPs terão como objetivo principal a simplificação da infraestrutura de TI e da nuvem, apontando para ambientes mais eficientes. Trata-se de uma verdadeira "transformação digital na nuvem", modernizando o ambiente e propondo novas formas para que ele funcione de maneira mais simples. Para isso, os provedores de serviços gerenciados precisam considerar, por exemplo, quais recursos podem ser movidos para a nuvem, se devem de fato ser migrados para lá e onde o cliente pode obter o benefício mais rápido. 
  • Adoção de Inteligência Artificial: Cada vez mais, os MSPs deixarão de lado o atendimento reativo e passarão a ser proativos, com previsibilidade e antecipação de ações, conquistando assim maior produtividade e otimização de custos. Isso acontecerá graças ao uso crescente de inteligência artificial, que levará a análises de prevenção e sugestões de melhorias no ambiente do cliente de forma automatizada. 
  • Uso de plataformas digitais: À medida que os clientes passam a adotar a nuvem, crescerá também a demanda por plataformas operacionais digitais. Os MSPs terão de disponibilizar ao cliente uma visão de tudo que está acontecendo na sua estrutura na nuvem de forma digital, sem a necessidade de acionar suporte. Dashboards com dados em tempo real, acessíveis em qualquer dispositivo, em breve serão a regra. 

Esses são apenas alguns exemplos do que serão consideradas, no curto prazo, as melhores práticas de gerenciamento e otimização de recursos em Cloud. As empresas – tanto as que desejam migrar para a nuvem quanto aquelas que já a adotaram e precisam de melhor gestão – deverão ficar atentas para que consigam de fato aproveitar todas as vantagens que a nuvem pode oferecer.

Carlos Maurício, diretor de Negócios de TI da Algar Tech.

 

 

 

 

Deixe seu comentário