Organizações devem avaliar adoção de blockchain por etapas

0
0

Cada vez mais o blockchain tem sido a mola propulsora para acelerar a inovação em muitas organizações, seja para transferência de conhecimento ou transações P2P, máquina a máquina ou na promoção de inovações, garantindo segurança e confiabilidade nos blocos.

No entanto, é preciso estudar e avaliar se há necessidade de adotar a tecnologia. Para Jair Lamounier, arquiteto de soluções da SAP, muitos projetos de blockchain morrem ou não avançam. Segundo o Gartner, 90% dos projetos de blockchain lançados em 2016 e na primeira metade de 2017 terão um fim prematuro nos próximos 24 meses.

"A SAP desenvolve o projeto em várias etapas. Inicialmente, desenhamos a prova de conceito, entendendo qual o blockchain mais adequado para o negócio do cliente. Identificamos a autenticidade, procedência e a transferência dos valores", explica.

Lamounier conta que na indústria financeira, por exemplo, a SAP já fez prova de conceito com o Banco ATB (Canada), realizando uma transferência para o banco Reise Bank (Alemanha)."Temos casos de validação de autenticidade de documentos para cartório e um potencial imenso na cadeia logística. Essa indústria traz o blockchain para trazer valor e eficiência na cadeia de suprimentos, manutenção de equipamentos, entre outros segmentos do setor".

Do conceito à prática

Orquestrado pela área de Recursos Humanos, o CpQD tem compartilhado conhecimento usando o blockchain para estimular atitudes inovadoras. O projeto envolveu o uso de tipo de criptomoeda como recompensa pela participação de colaboradores em compartilhamento de conhecimento, e também ferramentas de design thinking.

"O CpQD está estudando propostas para criação de projetos no agronegócio, rastreabilidade das coisas; além de duas iniciativas com o governo (troca de informações com os países do Mercosul) e a outra é criar um ambiente de IoT com blockchain. Todos realizados na nuvem", diz Rodrigo Lima Verde Leal, especialista em Inovação do CPqD.(foto).

O setor financeiro, inovador por natureza, também é um dos que mais tem investido em blockchain.  "Em breve a Mastercard lançará um conjunto de ações baseada em três APIs: desenvolvedores criando seus blockchains; verificação e validação de contratos por meio das APIs da Mastercard; e a transferência de pagamentos instantâneos", informa Fábio Godoy, gerente de Produtos Digitais da Mastercard.

Deixe seu comentário