Após comprar Motorola Mobility, Lenovo anuncia reestruturação organizacional

0
56

Depois de anunciar a compra da Motorola Mobility e da divisão de servidores da IBM, a Lenovo informou nesta quinta-feira, 30, que vai remodelar sua estrutura organizacional, o que resultará na criação de quatro grupos empresariais, em vez dos dois atuais. A estratégia da fabricante chinesa com a aquisição das duas unidades, pelas quais vai desembolar mais de US$ 5 bilhões, é diversificar a atuação com smartphones e servidores para fazer frente à forte desaceleração do mercado de PCs.

As mudanças, que serão efetivadas a partir de 1º de abril, culminarão na criação de uma divisão de PCs, outra de dispositivos móveis, uma unidade voltada ao mercado corporativo e um grupo de computação em nuvem, que se concentrará no fornecimento de conteúdo e serviços para sua base de clientes.

O grupo de negócios corporativos será liderado por Gerry Smith, que comanda as operações da América do Norte e América Latina da Lenovo. Em comunicado, a empresa informa que esse grupo vai integrar o negócio de servidores low-end da IBM, cuja concretização ainda depende de aprovações regulamentares.

A Lenovo, que comprou a divisão de PCs da IBM em 2005, tornou-se a maior fabricante mundial de PCs em unidades vendidas no ano passado, superando a HP. Ainda assim, a empresa está tentando encontrar novas fontes de receita, em razão da fraca demanda no mercado de PCs tradicionais. Ela identificou os smartphones e servidores como os próximos motores para o seu crescimento.

O grupo empresarial de PCs da fabricante será comandado por Gianfranco Lanci, atual chefe de operações na Europa. Liu Jun, que lidera a unidade de produtos de consumo, irá supervisionar o novo grupo de negócios móveis, que consiste principalmente de smartphones e tablets.

A Lenovo anunciou, ainda, que Peter Hortênsio, que chefia o negócio de PCs para escritórios, se tornará diretor de tecnologia. Já o CEO Yang Yuanqing continua no comando geral da companhia.

Nesta quinta-feira, a Lenovo também informou que não terá de levantar capital para pagar as duas aquisições. Segundo disse o diretor financeiro Wong Waiming, durante uma teleconferência, a Lenovo tem mais de US$ 3 bilhões em caixa e facilidade de obtenção de empréstimos acima de US $ 1 bilhão para atender despesas de capital inicial de US$ 2,8 bilhões nos dois negócios. Com informações de agências internacionais.

Deixe seu comentário