Fundos investem em startup de Telemedicina de Itajubá

0
9

A Ventrix, startup mineira que desenvolve soluções tecnológicas para área de Medicina, localizada em Itajubá, no Sul de Minas Gerais acaba de receber investimento de R$ 5 milhões para investir em seus negócios e empreendimentos. Os aportes foram destinados pelo fundo de investimentos Criatec II, cogerido pela Bozano Investimentos e Triaxis Capital, que é representado em Minas Gerais pela FC Partners (empresa mineira de gestão e investimentos focada em negócios familiares), e pelo Fundo de Inovação Paulista, desenvolvido pela Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, que tem como gestora a SP Ventures.

A escolha pela Ventrix é devido ao seu produto, o Cardiofit. A solução visa reduzir custos e tempo para a realização de exames cardiológicos e a emissão de laudos com a transmissão dos dados pela Internet. Além disso, a empresa já tem planos para o lançamento de outros produtos e serviços na área de telemedicina.

"A falta de cardiologistas e de equipamentos para realização de exames de eletrocardiograma e testes ergométricos na maior parte dos Estados e municípios do Brasil leva a uma ineficácia no diagnóstico e tratamento das doenças do coração. Com o Cardiofit permitimos que mesmo centros de saúde de pequenas cidades em regiões remotas atendam os pacientes, enviem os exames pela Internet e recebam rapidamente os laudos de médicos especialistas que trabalham em outras cidades onde há maior oferta de profissionais especializados", diz Roberto Castro Júnior, sócio-proprietário da Ventrix e doutor em Engenharia Biomédica pela Universidade de São Paulo.

Incubada desde 2010 na Base Tecnológica de Itajubá (INCIT), a Ventrix nasceu em 2005 em Cotia (SP), onde mantém sua sede. Recentemente, a desenvolvedora cumpriu importantes estratégias para consolidação de seu modelo de negócios e a produção de seus equipamentos em larga escala, como a certificação do Cardiofit e a conquista do certificado de Boas Práticas de Fabricação, ambos concedidos pela Anvisa. O diferencial do produto está justamente na revolução na maneira como os pacientes passam a ser atendidos, independente da disponibilidade de profissionais médicos em suas regiões quando estão distantes dos grandes centros de referência. Os eletrocardiógrafos existentes hoje no Brasil obrigam que o paciente visite o especialista para fazer os exames e receba os resultados, já que não têm uma integração direta com a nuvem e, por isso, inviabilizam a emissão de laudos à distância.

Com o investimento recebido pelo Criatec II e pelo Fundo de Inovação Paulista, a Ventrix irá potencializar, principalmente, a implantação de uma agressiva estratégia comercial e de marketing, que incluirá a contratação de uma equipe de representantes, a fabricação e a oferta dos equipamentos Cardiofit em modelo de comodato, bem como melhorias na planta industrial e o desenvolvimento de novos produtos.

Deixe seu comentário