MV desenvolve plataforma aberta para inovar atendimento na área da saúde

0
0

A MV, desenvolvedora e prestadora de serviços deplataforma aberta, se prepara para uma importante mudança no foco de sua estratégia de abordagem para toda a cadeia de saúde, criando uma nova plataforma, a GlobalHealth, cujo objetivo é relacionamento e orientação ao cidadão no trato da saúde, mesmo antes do mesmo vir a ser um paciente.

A informação é de Paulo Magnus, presidente da empresa, na abertura da MV Experience Fórum 2015, que aconteceu em Recife (PE) nos últimos dias 26 e 27, reunindo executivos de hospitais, operadoras de saúde e parceiros de negócios.

Paulo Magnus. presidente da MV
Paulo Magnus. presidente da MV

Segundo ele, a MV vem crescendo 20% ao ano nos últimos 14 anos, reunindo cerca de mil funcionários, mais de 100 mil médicos usuários de um total de 350 mil usuários totais, em cerca de mil clientes espalhados pelo país e exterior. Pelos sistemas da empresa são movimentados cerca de R$ 45 bilhões ao ano nessa base de clientes, com um total de cerca de 150 mil internações ao mês.

Apesar de não revelar o faturamento do último ano (superior a três dígitos), ele se diz confiante em conseguir também um crescimento expressivo em 2015, mesmo com os indícios de retração econômica. "O que me preocupa é a inadimplência", complementa.

Diz ainda que a empresa além do crescimento orgânico, deve alavancar receitas com a aquisição de empresas em nichos de mercado complementares aos sistemas da MV, com recursos próprios e do aporte recebido do fundo de investimento Insight Ventures Partners, como vem fazendo nos últimos anos.

Ela também foca o mercado internacional, tendo iniciado em 2002 uma operação em Angola. Hoje está presente no Chile, República Dominicana, Colômbia e México. "Apesar de receita desses países representarem apenas 5% da receita total, o mercado exterior trabalha com padrões internacionais de saúde, o que facilita a entrada e operação nesses mercados", explica Magnus.

Global Health

A Global Health é uma plataforma aberta, focada no cidadão ao não no paciente. Emerson Zarour, diretor de Inovação da MV, explica que ela "pretende melhorar o acesso à população, conectando toda a rede de saúde, provendo prognósticos e auxiliando nas decisões, além de também cuidar de pessoas sadias".

Emerson Zarour, diretor de Inovação da MV
Emerson Zarour, diretor de Inovação da MV

Depois de uma pesquisa extensa no Brasil exterior, a MV desenvolveu solução com sete vetores de inovação, que inclui big data, mobilidade, cloud, telemedicina, interoperabilidade, inteligência clínica e dispositivos vestíveis. "A ideia é tenhamos o "personal health", onde através de um aplicativo, o APP do cidadão, todas as informações das prescrições e exames do prontuário eletrônico estejam agrupadas. Ela servirá de ferramenta de relacionamento entre médico, paciente, clinicas e demais elos da cadeia de saúde e bem estar".

Com o APP da Global Health as pessoas, instituições de saúde, médicos podem se conectar de forma simples para compartilhar informações de forma segura, acessando e marcando consultas e exames laboratoriais. Ela possibilita a obtenção de dados sobre exercícios físicos, dieta e nutrição, busca de medicamentos, agendas médica, telemedicina, rede médica, sinais vitais, etc, conectado empresas e profissionais dessas modalidades.

Em torno da plataforma todas as funções, como se fossem módulos, podem ser acessadas através de APIs (application program interface). "Uma pessoa pode agendar uma consulta através do aplicativo na nuvem, autorizar o médico a acessar seus dados (os dados são privativos do paciente), onde constam além do cadastro com os exames anteriores, notificações de alergias, etc, evitando assim à necessidade de se repetir as informações, como é comum na área médica . Após a prescrição eletrônica, o paciente pode consultar uma farmácia perto através de geolocalização, marcar um exame num laboratório credenciado, procurar uma academia, etc, tudo via o aplicativo, que estará conectado como os parceiros integrados nessa cadeia".

Zarour diz que a abordagem dessa nova proposta tem grande potencial de crescimento, tendo em vista o exemplo dos Estados Unidos, onde os americanos gastam US$ 2,8 trilhões em cuidados de saúde e US$ 267 bilhões em bem estar (fitness). Explicou que existem mais de 40 mil apps de saúde para tablets e smartphone, sendo que nos países emergentes 59% dos usuários móveis usam apps de saúde contra 35% dos países desenvolvidos.  Entre os aplicativos mais promissores de crescimento nos próximos 5 anos estão o de monitoramento remoto (53,2%), marcação de consultas (38,2%), diagnósticos (26,8%). "Eles trazem um impacto positivo em relação aos custos, pois evita a não adesão do paciente ao tratamento, diminui custos de consultas, readmissão hospitalar e estadia, prevenção de doenças, ausência do trabalhador,  entre outros benefícios", explica.

Projeto piloto

Ainda em abril, a Unimed de Belo Horizonte, colocará em operação um projeto piloto com a nova plataforma para atender o recém-construído Centro Médico Unimed, um prédio construído com 150 salas de consultas e potencial para atender cerca de 700 médicos da cooperativa de médicos. Está previsto também uma espaço para abrigar uma laboratório de análises clínicas no futuro.

Segundo explica José Geraldo Andrade de Souza, gestor de TI em Saúde da Unimed Belo Horizonte, o projeto começará a estimular os clientes a usarem o aplicativo criado tanto em iOS quanto Android. E também os médicos a fazerem as prescrições e interagirem através da plataforma, uma vez que os prontuários eletrônicos dos pacientes já estão disponíveis nos sistemas da MV em 11 das 13 unidades da Unimed mineira.

"Importante salientar que o Global Health não substitui o PEP – Prontuário Eletrônico do Paciente. Ele é uma nova plataforma digital, unificada, que proporcionará melhor qualidade no atendimento das pessoas, com redução de custos, pois está hospedada na nuvem a acesso via mobile. Além disso, é  traz uma experiência inovadora de uso para os clientes", finaliza.

*O jornalista viajou a Recife a convite da MV

Deixe seu comentário