Sistema detecta cansaço e distração de motoristas pela pálpebras

0
30

Em segmentos de mercado como a mineração, operações contínuas no ritmo 24/7 são uma tendência no Brasil e no mundo. Nesse cenário, dois desafios se apresentam como sendo os principais: manter a produtividade alta em diferentes horários e preservar a integridade do condutor, principalmente em relação à fadiga. Para a Caterpillar e seu maior revendedor, a Sotreq, a solução está "em um piscar de olhos".

O Driver Safety System (DSS) oferece informações precisas por meio de uma avançada tecnologia de monitoramento da face. O software registra e mede a abertura da pálpebra (indicadores de sonolência) e utiliza esses dados para determinar a presença de fadiga. Também mede a orientação da cabeça, fornecendo informações sobre a distração do operador ao desviar o olhar da zona desejada. Tudo isso em tempo real.

Com a tecnologia do DSS, é possível saber como está o desempenho dos condutores em todos os momentos durante a jornada de trabalho, entender porque eventos críticos ocorrem e prevenir acidentes, preservando a saúde e a integridade física dos funcionários. Além disso, também tem a capacidade de perceber o sentido que os operadores estão olhando, indicando qualquer ângulo de visão inadequada às operações, apontando eventuais distrações, outro pronto relevante na prevenção de acidentes.

Segundo a Sotreq, o DSS opera de forma "invisível" para o motorista e não altera ou influencia em suas tarefas na cabine. Isso porque é instalado no veículo e não no condutor. O sistema é totalmente automático, sem processo de calibração ou configuração necessária, ou seja, não será necessário nenhum treinamento adicional ou alterações no procedimento operacional padrão da mina.

Alarme

Quando o sistema identifica uma situação de fadiga, emite um alarme sonoro a fim de alertar o operador. Também pode ser acionado um mecanismo de vibração do assento, método mais efetivo fisiologicamente para despertar o operador. Para captar as reações do rosto, o sistema a bordo – DSS IVS é composto por uma pequena câmera montada no painel, que é auxiliada por duas bases com LED infravermelhos que iluminam a face do operador durante períodos noturnos e de baixa luminosidade natural, sem ser visível ao olho humano.

Ao cruzar dados fornecidos pelo GPS incorporado ao equipamento – como velocidade, horário e localização – no momento da ocorrência do problema com o colaborador, o sistema DSS envia os dados até o software de escritório em tempo real (dependendo da disponibilidade e características da rede sem fio para a transmissão). Entre as informações estão as imagens de uma sequência de piscadas em pequenos vídeos de 3 a 4 segundos da área dos olhos (ou da face completa) que podem ser acessados pelo responsável da operação para que ele possa intervir imediatamente a fim de evitar danos e acidentes. Além disso, é fornecido a câmera frontal como opcional. Ela permite identificar, com imagens, o que ocorreu no trajeto do equipamento durante o evento.

A Caterpillar disponibiliza um centro de monitoramento 24 horas para análise e classificação de todos os eventos gerados pelo sistema. Todas as informações são compiladas em um banco de dados que podem ser tratadas e categorizadas. Por meio da avaliação histórica do banco, é possível verificar padrões comportamentais e alterar rotinas que permitam criar estratégias para evitar a fadiga e a distração de operadores.

 

Deixe seu comentário