Medições da banda larga revelam que qualidade melhorou mais nas regiões Sul e Sudeste

0
0

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou nesta quarta-feira, 30, os resultados da medição da qualidade dos acessos à internet entre os meses de janeiro e março deste ano, tanto da banda larga móvel quanto da fixa, em que foram avaliadas as operadoras de todos os estados da federação e o Distrito Federal.

No estado de São Paulo, maior mercado do país, exceto a TIM, que não consegui atingir a meta no mês de janeiro, todas as operadoras móveis cumpriram o índice da Anatel de velocidade média no acesso à internet móvel (média das medições de velocidade instantânea apuradas no mês), em que o objetivo é entregar, no mínimo, 70% da velocidade contratada. Nesse quesito, a TIM ofereceu 69,43% em janeiro, enquanto a Oi atingiu 84,52%%, a Nextel alcançou 79,93%, a Vivo chegou a 89,03%, a Algar obteve 87,34% e a Claro ficou no topo, com 89,40%, considerando apenas o mercado paulista.

No critério de velocidade instantânea (velocidade de upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário), cuja meta é fornecer 95% da velocidade contratada, a TIM novamente não conseguiu cumprir a meta em São Paulo em janeiro, atingindo 79,13%. No mercado paulista, a Nextel atingiu 99,77% em janeiro, a Claro alcançou 99,81%, a Oi apresentou índice de 97,36%, a Vivo ficou em 98,34% e a Algar, 99,08%.

Em fevereiro e março, a TIM também não conseguiu cumprir a meta de velocidade instantânea, ficando com índice de 92,94% e 94,98%, respectivamente, em São Paulo.

Os índices da medição dos resultados da banda larga móvel pioram nos estados das regiões Norte e Nordeste. No Rio Grande do Norte, por exemplo, exceto a Vivo, todas as demais operadoras de banda larga móvel descumpriram a meta de velocidade instantânea em março.

A Oi, por exemplo, não atingiu metas de velocidade instantânea da banda larga móvel nos meses de fevereiro e março nos estados do Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Pernambuco, Paraíba, Pará, Maranhão e Roraima, apresentando patamares abaixo de 95%. A TIM não atingiu a meta de velocidade instantânea nos mesmos estados em que a Oi não alcançou o índice, além de Rondônia. A Vivo não atingiu o mesmo objetivo no Acre, Pará, Piauí, Maranhão e Rio Grande do Norte.

Banda larga fixa

Na banda larga fixa, todas as empresas avaliadas pela Anatel — Algar, GVT, NET e Vivo — cumpriram praticamente todas as metas estipuladas no estado de São Paulo em janeiro, exceto pela Vivo, que no quesito perda de pacotes ficou com 87,70%, quando o índice é 90%. A melhor velocidade média no serviço em janeiro foi obtida pela Net Serviços que entregou mais até do que o contratado pelos usuários, com indicador de 101,63% de velocidade média e 100% de velocidade instantânea.

O mesmo aconteceu com a GVT, com velocidade média de 100,22%, e com a Net São Paulo, com média de 100,35% em janeiro. Em quarto lugar no estado, a Algar registrou velocidade média de 94,77% do firmado nos contratos com os clientes, seguida pela Vivo com 87,98%, o índice mais baixo.

Nos estados das regiões Sul e Sudeste, algumas metas também não foram atingidas, variando de uma operadora para a outra, conforme o mês avaliado.

Deixe seu comentário