Tecnologia permite visita virtual para pacientes em UTI em hospital de São Paulo

0
0

Sentimentos como medo, solidão e abatimento causados pelo isolamento são comuns em pacientes internados com o novo coronavírus. Porém, esse misto de sensações pode ser amenizado com poucos cliques no celular. Para quem está há dias em uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), duas telas se tornam o caminho mais rápido e seguro para diminuir a distância daqueles que se amam e possibilitar reencontros emocionantes. Já para quem está em casa, esses encontros digitais também são métodos eficazes para estreitar laços com os profissionais de saúde e acompanhar diariamente o quadro clínico do paciente por meio de boletins virtuais por vídeoconferência. 

Embora sejam pequenos gestos, esses diálogos virtuais se tornam grandes passos em direção ao bem-estar tanto dos doentes, quanto dos seus familiares. Foi pensando nisso, que o Hospital São Luiz Unidade Jabaquara, unidade especializada em tratamento da Covid-19 da Rede D'Or São Luiz em São Paulo, reinventou o seu atendimento humanizado em meio à pandemia e implementou um novo modelo piloto de contato com boletim e visitas virtuais para assegurar a proteção no contexto atual.?A inciativa, que ainda está em processo de teste na unidade, foi possível por conta de uma parceria com a Microsoft para a utilização da plataforma de comunicação e colaboração Teams. 

Antes da iniciativa pioneira, os boletins médicos eram passados por telefone com o familiar responsável. "O contato telefônico possui certas limitações, pois, muitas vezes, não sabemos de fato quem pode estar do outro lado e, pior ainda, dependendo das informações, não podemos transmitir afeto e conforto para os familiares sem o clássico olho-no-olho. Com a implementação do Teams, o boletim médico agora é feito virtualmente por videoconferência, o que permite um contato interativo e mais humanizado.", conta o Dr. Mauro Borghi, diretor geral do Hospital São Luiz Unidade Jabaquara.  

Ao implementar o projeto, o Hospital São Luiz Unidade Jabaquara dividiu os pacientes em três categorias e é com base nelas que determina o meio de contato com as famílias. O primeiro grupo é formado por aqueles que estão sedados e, por conta disso, o meio de comunicação é o boletim virtual com familiares, realizado sob demanda do médico e responsáveis. Caso seja observada a necessidade, há também a visita virtual que proporciona o último contato da família com pacientes que podem evoluir para óbito.  

Para aqueles que saem do quadro clínico grave e se encontram conscientes, até a simples manipulação do celular se torna difícil, por isso a unidade disponibiliza um smarthphone no leito e realiza a visita virtual entre os pacientes, familiares e os médicos. Já com os doentes que tem condições de continuar a usar o celular particular durante a internação, é realizado apenas o boletim virtual entre médico e parentes.  

Ambas as modalidades são previamente agendadas de acordo com a disponibilidade do médico, paciente e responsáveis e duram, aproximadamente, 10 minutos. É enviado ao familiar um e-mail com todo passo a passo de instalação do Microsoft Teams em dispositivos móveis ou desktop e o link da reunião remota, que possibilita a participação de até quatro pessoas. Além de disponibilizar smartphones e estrutura adequada para a realização das reuniões em salas privativas, a unidade também dispõe de equipe de capacitação que auxilia os familiares a utilizar a ferramenta. 

Segundo Dr. Mauro Borghi, com a adesão do novo boletim e visitas virtuais via Microsoft Teams, que começaram nos dias 24 e 29 de abril, respectivamente, o corpo clínico também já notou a diminuição da ansiedade dos parentes e amigos que aguardam notícias dos doentes, bem como a nítida disposição dos pacientes para continuar o tratamento após ver um ente querido por meio da tecnologia.  

"São inúmeras as vantagens quando pacientes nessas condições conseguem ver e ouvir seus familiares. Um pai internado com Covid-19 há dias longe do seu bebê de seis meses, é um exemplo nítido disso. No Dia das Mães, a esposa e a criança o visitaram remotamente e, visto a reação positiva do marido, ela enfatizou que aquele era o melhor presente que poderia receber no seu dia. Essa declaração fez com que ele se empenhasse ainda mais nas sessões de fisioterapia e a continuar o seu tratamento", conta o diretor.  

Atualmente, a unidade possui 110 pacientes com Covid-19, sendo 58 na UTI. Desses, 35% já usam o serviço. Visto o feedback positivo desse projeto piloto, a Rede D'Or São Luiz também planeja expandir a parceria com a Microsoft para uso do Teams em todas as unidades do Grupo.  

Deixe seu comentário