Ferramenta promete corrigir e evitar erros na gestão dos processos em tempo real

0
0

Chega ao mercado uma solução para facilitar a vida das empresas em seus processos de negócios, especialmente para corrigir falhas e gargalos que geram milhões em prejuízos. Trata-se, segundo anuncia Fernando Gamboa, diretor sênior do gA, a nova plataforma Process Intelligence. "As empresas de todos os portes já podem colocar sensores para descobrir os seus problemas, monitorar a saúde financeira e otimizar os processos de negócios. Tal monitoramento tornou-se viável por meio da convergência de tecnologias como Process Mining, Advanced Analytics e Big Data", destaca.

"O uso de sensores viabiliza a captura de uma enorme quantidade de dados que as organizações utilizam, transacionam e geram. Permitem ver como realmente a emprea opera em tempo real, visualiza gargalos ou desvios e prevê o comportamento de um processo para facilitar ajustes em tempo real", resume o diretor do gA.

Por exemplo, em um caso de abertura de empréstimo em um banco. São processos maduros, com muito volume, onde, aparentemente, as etapas e atividades de cada diretor nas áreas envolvidas são claramente determinadas. No entanto, nem sempre acontecem como elas estão desenhadas. Uma simples falta de assinatura ou documento gera atrasos e custos com retrabalhos. Este é um exemplo onde podemos usar a plataforma para saber quase em tempo real como os processos para aprovação de um crédito funcionam, como estão sendo executados e quais decisões devem ser tomadas para melhorar o trânsito da operação.

O paradigma que está por trás, assinala Gamboa, é a abundância de dados gerados. Se houver algum controle,  um certo grau  de sistematização das operações, mesmo que desintegradas,  a plataforma pode, de alguma forma, ajudar na melhoria do gerenciamento. A plataforma está disponível para funcionar como SaaS, ou como um serviço na nuvem,  para ser alugada ou utilizada de acordo com o grau de necessidade de cada companhia, ou ainda através de modelos híbridos, considerando a infraestrutura do cliente.

O primeiro benefício é ter transparência na tomada de decisões, desde indicadores analíticos até indicadores operacionais. Outro benefício é que, ao invés de investir tempo fazendo entrevistas, criando comitês, validando o processo, em três ou quatro semanas de um set up, a companhia começa a ter sua primeira visão do processo, com dados específicos e reais.

Deixe seu comentário