Publicidade
Início Notícias Gestão RPA acelera transformação digital em diversas organizações

RPA acelera transformação digital em diversas organizações

0
Publicidade

Com a aceleração digital provocada pela pandemia, grande número de empresas adotou soluções de RPA para buscar aumentar produtividade, eficiência, evitar retrabalho, acelerar o time to market, entre outros benefícios. No painel da 4a edição do RPA – Robotic Summit, que acontce nesta quinta-feira, 29, usuários e fornecedores  apresentaram seus cases em RPA, os quais provou o valor transformador para os negócios e diferencial competitivo para superação dos desafios do novo momento da economia.

Jorge Biesczad Jr, diretor comercial e de marketing na Quality Nextech, que em parceira com a Automation Edge, fornece soluções de RPA e metodologia própria, para aprendendo com as regras de negócios e arquiteturas de sistemas específicas de cada ambiente, promovendo a entrega mais rápida de workflows, e benefícios do uso de automação, trouxe exemplos de várias empresas usuárias. 

Ana Claudia Rodrigues, head de Transformação Digital em FURNAS, mostrou como uma empresa pública, parte do Sistema Eletrobrás, reuniu várias de suas áreas de negócios com foco na transformação digital. “Nossa jornada de RPA permitiu um avançar para várias áreas internas com objetivo de levar a tecnologia do RPA para outras áreas do sistema, e expandir naquelas que ainda não estão atendidas  para todo o Grupo”, disse.

Everton Silva, Sénior Manager Global Operations Excellence do Grupo ZF contou como a empresa da área automotiva, na área de logística, uniu tecnologias como RFID e IoT para distribuição de produtos em sua rede de atacadistas, varejistas e concessionárias para melhorar a previsão de demanda e reposição de estoques. “Hoje temos  a robotização da demanda dessas áreas  com resultados excelentes que chegam a 99.3% de acertos, sem erros, além de outros indicativos que nos permite a aceleração do IoT dentro da companhia”, assegurou.

Marco Seraphim, CTO da Boty, explicou em sua apresentação, a relevância das tecnologias que automatizam tarefas repetitivas, agregando qualidade e dados estratégicos à operação, duas soluções saltam à frente dos líderes corporativos, transformando a forma como as atividades rotineiras costumavam ser executadas: o chatbot e o RPA.

Segundo ele, no Brasil e no mundo, a incorporação de ferramentas de automação está avançando com intuito de manter a competitividade das empresas, que estão avançando rumo à transformação digital. O mercado mudou, o consumidor mudou e as tecnologias que suportam tudo isso também precisam mudar.  ” Hoje já estamos na discussão da TI fora da TI, migrando para as área de negócios, trazendo  o RPA como um caminho para descentralização do que já foi chamado de Shadow IT no passado, permitindo que os especialistas , em cada departamento, tragam novas formas de trabalho”, analisou.

Um outro case apresentado durante o painel foi o da Santher. Leandro Silva de Oliveira, gerente executivo de TI  da empresa produz mais de 180 mil toneladas de papel por ano para uso em produtos de higiene e limpeza contou como a a companhia concentrou esforços em automatizar processos repetitivos, como financeiro, logística, contabilidade e áreas comerciais. O movimento para adquirir uma plataforma de hiperautomação foram concluídos em agosto de 2020, escolhendo a Quality Nextech como parceiro estratégico para viabilização. “Naquele momento difícil do início da pandemia, o RPA foi uma grata surpresa, porque facilitou a vida das pessoas, que deixaram de fazer atividades repetitivas e passaram a revisar processos com foco na automatização,” diz Leandro.

Hoje a empresa  tem uma equipe autônoma e treinada em uma plataforma de RPA que permitiu criar uma esteira de projetos de RPA para robotizar todas as rotinas sistêmicas da companhia, iniciando com uma analista de TI focada em mapear processos candidatos e já otimiza-los dentro do robô, “São 17 processos automatizados e  nossos analistas de TI, além da independência na automatização, também quintuplicaram a velocidade de faturamento da companhia junto aos portais de compras B2B”, informou o executivo da Santher.

Dentro do cenário do agronegócio, a Uisa, empresa do setor sucroenergético, que atua na geração de bioenergia, produção de etanol hidratado e anidro e açúcares no estado de Mato Grosso, também apresentou seu case de sucesso no evento. Rodrigo Gonçalves  diretor de tecnologia e inovação da empresa falou sobre a experiência no uso do RPA para automação de processos que levam aos colaboradores a tomarem decisões em tempo real. “O RPA em nossa companhia atende mais de 5 mil colaboradores e é utilizado como um facilitador de decisões em todas as áreas da empresa. Desde o conselho até o operador de máquinas , todos recebem informações relevantes e importantes para suas atividades.”

“Nosso objetivo é mudar a forma como o agronegócio é feito no Brasil por meio de tecnologia, inovação e pessoas”, finalizou o CTO da Uisa.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile