Vendas por comércio eletrônico brasileiro registram queda de 16,03%, em fevereiro, revela câmara-e Net

0
0

As vendas efetuadas pelo e-commerce brasileiro tiveram queda de -16,03%, em fevereiro de 2020 frente a janeiro. O faturamento do setor, nesse mesmo período, seguiu a movimentação negativa: -15,06%; é o que revela o índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie.

"O mês de janeiro costuma ser de fortes vendas no e-commerce brasileiro devido às ofertas de saldão dos grandes varejistas, enquanto em fevereiro naturalmente temos uma pequena retração nas vendas, a qual foi potencializada pelo carnaval este ano. Nos próximos meses a tendência será de alta nas vendas, uma vez que os consumidores estão migrando para compras online após as divulgações dos casos de coronavírus no Brasil.", afirma André Dias, coordenador do Comitê de Métricas da camara-e.net e diretor executivo do Compre & Confie.

Vendas online

Na composição de vendas online, ao comparar fevereiro de 2020, com o mesmo período do ano passado, nesse caso, o índice foi positivo de 27,47%. No acumulado dos últimos 12 meses, também registrou crescimento de 44,61%.

Ao avaliar os dados de vendas varejistas por e-commerce, todas tiveram resultados negativos em fevereiro, em relação a janeiro. A composição ficou da seguinte forma: Nordeste (-17,37%), Sudeste (-16,45%), Norte (-16,33%), Sul (-14,12%) e Centro-Oeste (-12,48%).

Já no acumulado dos últimos 12 meses, todas as regiões variaram positivamente. Neste caso, a configuração muda: Nordeste aparece em primeiro lugar com 52,48%, seguido por Sudeste (46,05%), Sul (39,55%), Centro-Oeste (37,80%) e, por fim, Norte (32,73%).

Faturamento

O faturamento do setor teve expansão ao comparar fevereiro de 2020 com o mesmo período de 2019: 22,88%. O acumulado dos últimos 12 meses também contou com variação positiva de 55,21%.

A composição regional do faturamento de fevereiro de 2020, frente a janeiro, também registrou dados negativos. Nessa análise, a composição ficou da seguinte forma: Norte (-17,15%); Nordeste (-17,13%), Sudeste (-15,23%), Sul (-13,85%) e Centro-Oeste (-10,58%).

No acumulado dos últimos 12 meses, todas as regiões variaram positivamente: Sudeste (58,12%), Nordeste (57,63%), Centro-Oeste (49,30), Sul (49,29%) e Norte (39,35%).

Participação do e-commerce no comércio varejista

Em janeiro de 2020, o e-commerce representou 6,7% do comércio varejista restrito (exceto veículos, peças e materiais de construção). No acumulado dos últimos 12 meses, nota-se que a participação do e-commerce no comércio varejista corresponde a 5,9%. Vale destacar que esse indicador foi feito a partir da última Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, divulgado no dia 24 de março.

Categorias

Ao avaliar a composição de compras realizadas pela internet, por segmentos, em janeiro de 2020, ficou da seguinte forma: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (40,5%); móveis e eletrodomésticos (24,8%); e tecidos, vestuário e calçados (12,1%). Na sequência, outros artigos de usos pessoal e doméstico (10,3%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,9%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (2,6%);e, por último, livros, jornais, revistas e papelaria (1,7%).

Consumidores Online

O MCC-ENET revela também que, no último trimestre do ano de 2019, 13,7% dos internautas brasileiros realizaram ao menos uma compra online. Observa-se um aumento de 2,4 p.p. em relação ao trimestre anterior (11,3%). Já na comparação com o mesmo período em 2018 (9,5%), o crescimento é de 4,2 p.p.

Metodologia do MCC-ENET

Os índices mensais vêm da comparação dos dados do último mês vigente em relação ao período base (média de 2017). Para compor o índice, o Compre & Confie coleta 100% de todas as vendas reais de grande parte do mercado de e-commerce brasileiro, utilizando adicionalmente processos estatísticos para composição das informações do mercado total do comércio eletrônico brasileiro. Também são utilizadas informações dos indicadores econômicos nacionais do IBGE, IPEA e FGV.

O MCC-ENET traz uma visão completa a respeito do e-commerce no paísa partir da análise das seguintes variáveis: percentual nacional e regional de vendas online, faturamento do setor e tíquete médio. Outras métricas analisadas mensalmente são participação mensal do e-commerce no comércio varejista e crescimento do setor no varejo restrito e ampliado, além da distribuição das vendas por categoria. Por último, a penetração de internautas que realizaram ao menos uma compra trimestralmente pela internet também está contemplada no índice.
Não estão contabilizados no MCC-ENET dados dos sites MercadoLivre, OLX e Webmotors, além do setor de viagens e turismo, anúncios e aplicativos de transportes e alimentação, pois ainda não são monitorados pelo Compre & Confie.

Clique aqui para acessar o estudo completo

Deixe seu comentário