TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Mais de 40% dos executivos de finanças e contabilidade sentem dificuldades com os avanços da TI

Postado em: 05/05/2016, às 17:07 por Redação

A capacidade de acompanhar as mudanças tecnológicas é o principal desafio que os executivos de finanças e contabilidade enfrentarão até 2017, de acordo com 42% dos CFOs brasileiros entrevistados em pesquisa global da Robert Half. As prioridades seguintes são a conformidade com as demandas regulatórias/compliance (26%), gestão de big data (13%) e padronização nos reports de finanças e contabilidade (13%). As quatro iniciativas aparecem em mesma ordem de importância sobre as perspectivas para 2020.

Na opinião de Caio Arnaes, gerente sênior de divisão da Robert Half, a tecnologia tem impactado todas as organizações e no departamento de finanças e contabilidade o efeito não é diferente. "Por um lado, existe o desafio de acompanhar as mudanças tecnológicas, por outro uma pressão forte das áreas de negócio por insights que sejam estratégicos e em tempo real" diz. "Apesar do desafio de conciliar as duas questões, fica evidente também a relevância da função financeira como um instrumento para a tomada de decisão das diferentes áreas da organização", completa.

Time de finanças em xeque 

A pesquisa aponta 95% dos diretores financeiros preocupados com a capacidade de os profissionais do departamento conseguirem implementar as iniciativas até 2017, sendo 37% deles muito preocupados. O total de executivos temerosos com a superação destes desafios até 2020 cai para 85%, no entanto o percentual de profissionais muito preocupados sobe para 61%.

O principal obstáculo para que as metas traçadas para a área não sejam atendidas até 2017 são a falta de expertise (31%) e de investimentos na função (28%). Os entraves se invertem na perspectiva para 2020, com 25% dos entrevistados preocupados com a escassez de investimentos e outros 23%, com a baixa qualificação dos profissionais.

De acordo com Arnaes, os diretores têm driblado a falta de expertise com soluções flexíveis de recrutamento. "É possível equilibrar os perfis e habilidades necessárias com a utilização de profissionais com foco em projetos, alta especialização e capacidade de execução. Em alguns casos vemos também esta opção para substituição na estrutura buscando profissionais qualificados para trazer eficiência", comenta.

Habilidades desejadas 

O estudo global da Robert Half sobre a função do profissional de finanças e contabilidade revela que a principal expectativa da área de negócio com relação a esse profissional é a capacidade de prover insights estratégicos em tempo real (34%), seguida de oportunidades comerciais às linhas de negócio (30%) e combinação de eficiência na gestão do tempo com aumento de volume do trabalho (17%).

Na opinião dos CFOs brasileiros, as principais habilidades técnicas que os profissionais de finanças devem desenvolver nos próximos cinco anos são pacotes de software financeiros (35%), padronização de reports de finanças e contabilidade (26%), compliance/gerenciamento de risco/regulatório (25%). Do ponto de vista comportamental, as habilidades que serão mais demandas são liderança (39%), habilidade comercial (19%) e comunicação (17%).

A pesquisa da Robert Half foi realizada em de 2015, considerando a percepção de 2.135 diretores financeiros de 16 países, sendo 100 executivos do Brasil.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial