TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Exportações de eletroeletrônicos voltam a crescer em abril, puxadas pelas vendas de bens de informática e de automação industrial

Postado em: 11/05/2016, às 19:51 por Redação

O déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos somou US$ 5,62 bilhões no acumulado de janeiro-abril deste ano, cifra 48% abaixo do registrado do mesmo período do ano passado, quando totalizou US$ 10,78 bilhões, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Segundo a entidade, o desempenho é consequência da queda das importações, observada em todas as áreas representadas pela entidade, e o aumento das exportações. As exportações somaram US$ 1,89 bilhão, 1,1% acima das registradas de janeiro-abril de 2015, e as importações, US$ 7,5 bilhões, 40% abaixo na comparação com igual período de 2015.

No mês de abril, as exportações somaram US$ 427,3 milhões, 13,4% acima das ocorridas em abril de 2015. Já as importações, somaram US$ 1,8 bilhão, 39,1 % inferiores às do mesmo mês do ano anterior (US$ 3,0 bilhões). Todas as áreas apontaram retração, com taxas que atingiram até -50,3%. Este foi o 25º mês consecutivo em que as importações apresentaram montantes inferiores aos atingidos em iguais períodos anteriores.

Com exceção das áreas de informática (+57,1%) e de automação industrial (+11,1%), as vendas externas de bens das demais áreas do setor recuaram, com taxas que atingiram -35,2%, como no caso de equipamentos industriais.

No caso da área de informática, observou-se incrementos nas exportações de alguns produtos, com destaque para impressoras (+108%) e para distribuidores automáticos de papel moeda (+181%). Em automação industrial, destacaram-se as vendas externas de instrumentos de medida (+18%).

Queda das importações

As importações somaram US$ 1,8 bilhão em abril de 2016, 39,1% abaixo das ocorridas no mesmo mês do ano anterior (US$ 3 bilhões). Todas as áreas apontaram retração, com taxas que atingiram até -50,3%. Ao comparar com o mês imediatamente anterior, as importações recuaram 11,0%. Com exceção de telecomunicações (+19,1%), observou-se queda das demais áreas do setor analisadas.

Este foi o 25º mês consecutivo em que as importações apresentaram montantes inferiores aos atingidos em iguais períodos anteriores.

Segundo a Abinee, os resultados refletem a queda da atividade do país. Nota-se também que com a valorização do real, algumas empresas estão substituindo importações.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial