TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Empresas de tecnologia podem abandonar o Reino Unido se país deixar UE, diz ministro

Postado em: 23/05/2016, às 15:07 por Redação

Caso o Reino Unido decida sair da União Europeia (UE), no referendo marcado para 23 de junho, que definirá a permanência ou não do país no bloco econômico, um grande número de empresas de tecnologia pode deixar a região para outros países europeus. O alerta foi feito pelo ministro da Cultura e Economia Digital da Grã-Bretanha, Ed Vaizey, que prevê grande prejuízo para economia do país.

Em entrevista exclusiva ao site Business Insider, Vaizey disse estar preocupado com a possibilidade de as empresas de tecnologia deixarem o Reino Unido para outros países europeus se o plebiscito indicar pela saída. "Com países como França e Alemanha muito focados em tecnologia, e a reputação de alguns dos países bálticos, as empresas tecnologia terão inúmeras opções para escolher dentro da União Europeia, se decidirmos sair do bloco econômico."

Gigantes da tecnologia como Google, Microsoft, Salesforce.com, Cisco Systems e Huawei mantêm operações consideráveis no Reino Unido e empregam dezenas de milhares de pessoas. Há também milhares de startups de tecnologia em todo o país, particularmente em Londres, que empregam muitos britânicos.

Vaizey diz que as empresas de tecnologia têm acesso mais fácil a capital e a profissionais qualificados com o país se mantendo como parte da União Europeia. Ele também cita o fato de que, pertecendo ao mercado único europeu, o Reino Unido permite que as empresas de tecnologia tenham acesso a um mercado de 500 milhões de consumidores.

"É evidente que se deixarmos o bloco econômico isso [acesso] ficará muito mais difícil. Seria tornar o Reino Unido menos atraente também para os investidores que aplicam em empresas de tecnologia e acho que eles podem muito bem começar a olhar para oportunidades em outros países", ressaltou Vaizey. "Acho que outros países europeus não seriam lentos em estabelecer a comparação de que não estamos no bloco e eles estão."

As declarações de Vaizey foram feitas durante entrevista na conferência World Tour da Salesforce.com, na quinta-feira passada, 19. O site de notícias enfatiza que os comentários de Vaizey surgem uma semana depois de um investidor de risco de Berlim ter dito que uma "Brexit" ("Britain Exit", ou saída do país da UE) tornaria mais complicado para sua empresa investir em companhias de tecnologia no Reino Unido.

Recentemente, a Tech City, organização financiada pelo governo que apoia o setor de tecnologia britânico, também revelou que sete entre seus dez fundadores e investidores querem que o Reino Unido permaneça na União Europeia. A Tech City também está preocupada que o Google desista de instalar sua nova sede no Reino Unido no King's Cross Central, em Londres, que será maior arranha-céu da Europa ocidental com 330 metros de altura, cuja obra está prevista para ser terminada neste ano.

A Microsoft também se declarou contra uma Brexit, dizendo a manutenção da Grã-Bretanha na UE a torna um dos lugares mais atraentes para a companhia para fazer investimentos.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial