TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

95% das empresas ainda não perceberam todos os benefícios das tecnologias de digitalização na cadeia de suprimentos

Postado em: 26/03/2018, às 20:21 por Redação

O ritmo frenético de desenvolvimento de novas tecnologias ainda não encontra eco nas áreas de supply chain das empresas. Pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 26/03, pela DHL, mostra que 95% das 250 empresas entrevistadas não aproveitam totalmente os benefícios de redução de custos em potencial oferecido pelas soluções analíticas físicas e de informações.

Batizado de 'Digitalization and the supply chain: Where are we and what's next?' ('A digitalização e as cadeias de suprimentos: onde estamos e o que vem pela frente?') o relatório elaborado por Lisa Harrington, presidente do grupo lharrington Group LLC, foi encomendado pela DHL para identificar de que forma a indústria está lidando com o cenário atual de rápidas mudanças e revoluções imposto pelo aumento da digitalização na cadeia logística.

Soluções de última geração de robótica, IA, AVs, blockchain, soluções analíticas de big data e sensores são apenas algumas das tecnologias que as empresas devem passar a considerar como parte de suas estratégias de operações e supply chain.

Os entrevistados classificaram as soluções analíticas de big data como as soluções de informações mais importantes, com 73% tendo relatado que suas empresas estavam investindo nessa tecnologia, à frente dos aplicativos baseados na nuvem, com 63%, Internet das coisas (IOT), com 54%, blockchain, com 51%, aprendizagem de máquina, com 46%, e a economia compartilhada, com 34%. A importância dos hardwares físicos se concentrou na robótica, com 63% dos entrevistados classificando-a como a tecnologia física mais importante, superando AVs, com 40%, impressões em 3D, com 33%, e realidade aumentada e drones, com 28%.

Lisa Harrington, presidente do grupo lharrington Group LLC, disse: "Não resta dúvida de que a digitalização está causando um impacto incrível sobre a área de supply chain e operações em todo o mundo, representando uma tecnologia que chegou para ficar. As empresas têm à sua disposição inúmeras opções, à medida que novos produtos e aplicativos chegam ao mercado e conquistam aceitação no setor. Atualmente, ter uma estratégia bem direcionada para a digitalização em supply chain é essencial para avaliar o novo panorama tecnológico e traçar um caminho a seguir para colher os benefícios e se manter à frente da concorrência".

As empresas estão começando a se aventurar nesse universo, com 39% tendo relatado que estão desenvolvendo uma ou mais soluções analíticas ou de informações, mas apenas 31% delas tendo relatado estar fazendo o mesmo para aplicações físicas. Os motivos subjacentes para o ritmo lento são sintomáticos dos cenários tradicionais de mudança organizacional.

Para aplicações de tecnologia de hardware, 68% dos entrevistados afirmaram que a confiabilidade é sua principal preocupação, enquanto 65% relataram uma resistência à mudança em sua organização, seguido de um retorno de investimento insuficiente ou muito demorado, com 64%. Comparativamente, para soluções analíticas de informações, 78% dos entrevistados relataram que os silos organizacionais e sistemas legados e ram os principais impedimentos, seguidos pela falta de conhecimentos de talentos especializados, com 70%.

É essencial para as empresas digitalizar processos para atender a uma demanda cada vez maior pela geração de eficiência e flexibilidade, e pela melhora da experiência do cliente. Os resultados da pesquisa ajudarão a moldar ainda mais a estratégia de digitalização da DHL. Com uma visão clara e um portfólio abrangente de tecnologias essenciais sobre as quais capitalizar, a DHL já iniciou sua jornada de digitalização, focando seus investimentos em inovações com potencial para solucionar problemas de negócios reais e explorar novas oportunidades.

Um exemplo que demonstra como a DHL também está investindo em tecnologias futuras é o blockchain, onde atuamos em parceria com a Accenture para testar um conceito que visa prevenir a falsificação de medicamento – algo que a Interpol estima matar um milhão de pessoas por ano. Este teste incorpora o blockchain na cadeia de suprimentos farmacêutica por meio de um sistema de serialização de rastreamento contínuo. O recurso permite à empresa capturar de forma segura o identificador exclusivo de cada unidade de um carregamento farmacêutico, à medida que ele se desloca ao longo da cadeia logística.

A pesquisa incluiu 335 entrevistados de diversos setores, dentre eles: setor automotivo, de bens de consumo, ciências biológicas, tecnologia, engenharia e fabricação e muito mais. Os entrevistados estavam geograficamente espalhados pelo mundo.

Quando os entrevistados foram questionados sobre a adoção de tecnologias físicas e de soluções analíticas/de informações, apenas 5% responderam que estavam em um nível de aplicação revolucionário no âmbito da cadeia logística, deixando de fora 95%, que ainda não perceberam todos os benefícios dessa adoção.

Sobre os principais benefícios esperados das tecnologias físicas, 82% responderam "redução de custos" e "melhora da lucratividade", enquanto 77% afirmaram o mesmo para a digitalização baseada em soluções analíticas/de informações.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , , , , ,

1 Comentário

  1. Avatar Ediberto disse:

    Excelente matéria, na minha opinião quem não se modernizar com o objetivo de ganhar eficiência e consequente redução de custos em seus processos, não terá como concorrer e aumentar sua carteira de clientes, estará atrasado em tudo, Parabéns pela matéria.

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial