Publicidade
Início Notícias Negócios Goldman Sachs e IBM fazem aporte em startup que viabiliza transações com...

Goldman Sachs e IBM fazem aporte em startup que viabiliza transações com moedas digitais

0
Publicidade

A IBM e o Goldman Sachs Group são os mais novos investidores na Digital Asset Holdings, startup liderada pelo ex-banqueiro Blythe Masters, do JP Morgan Chase & Co., que desenvolveu uma solução para adaptar a tecnologia blockchain — algoritmo que permite que moedas digitais (bitcoins) sejam negociadas sem um órgão centralizador, como a CVM, ou uma plataforma para normatizar e fiscalizar a atuação dos diversos participantes — aos mercados financeiros.

A startup já havia levantado US$ 52 milhões com empresas como a JP Morgan, Accenture, Depository Trust & Clearing Corp. e o Citigroup. No mês passado, a Digital Asset ganhou um contrato da ASX, outra investidora, para acelerar o desenvolvimento de um sistema de liquidação de títulos para o mercado acionário da Austrália.

Com a nova rodada de investimentos do Goldman e da IBM, a Digital Asset acumula um aporte total de US$ 60 milhões, de acordo com um comunicado divulgado nesta terça-feira, 2, pela empresa. Em janeiro, quando obteve o primeiro financiamento, a empresa passou a ter um valor de mercado de US$ 100 milhões, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto disseram à Bloomberg.

A Digital Asset está entre as cerca de uma dúzia de startups que estão competindo para provar que a tecnologia blockchain pode ser usada de forma eficaz nos mercados financeiros. O desafio é que enquanto que os mercados de capitais hoje contam com uma autoridade central para supervisionar a transferência de dinheiro em ações, a tecnologia interligar todos os participantes do processo sobre uma mesma base de dados para permitir a movimentação dos ativos em tempo real.

A IBM e Digital Asset fazem parte do grupo de empresas financeiras e de tecnologia que defendem o desenvolvimento de software de código aberto. O grupo, que está trabalhando com a Fundação Linux, que quer criar uma rede pública de aplicativos baseados na tecnologia blockchain que podem ser usados para se comunicar uns com os outros.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile