Publicidade

    Consumidores pretendem gastar até R$ 3 mil na Black Friday

    0
    Publicidade

    Maioria dos consumidores pretendem gastar entre mil e três mil reais em compras online na Black Friday 2019, que acontece no dia 29 de novembro. É o que revela a pesquisa exclusiva do Méliuz, empresa de cashback no Brasil, que ouviu por 30 dias cerca de 16 mil pessoas de todo o País.

    Considerada uma das datas mais esperadas do calendário varejista, a tradicional sexta-feira de descontos e ofertas, que começou nos Estados Unidos, faz a cabeça dos brasileiros desde 2010. Ainda tímida, o faturamento registrado naquele ano foi de R$3 milhões nas lojas online. De lá pra cá, muita coisa mudou e, em 2018, o comércio eletrônico registrou faturamento de R$2,6 bilhões – um crescimento de 30% em relação a 2017, segundo dados da Ebit | Nielsen.

    A grande liquidação deve aquecer a economia e movimentar o comércio eletrônico e físico de forma positiva neste ano. Segundo a pesquisa, 79% dos consumidores garantem que vão aproveitar as liquidações, sendo que apenas 18,2% não tem intenção de compra e 2,6% está em dúvida.

    E-commerce ou Varejo?

    A maioria dos consumidores deve dar preferência ao comércio online na hora de fazer as compras da Black Friday, mas ainda há quem prefira o tradicional varejo físico. Os números são: 65,5% (lojas online), 31,4% (lojas online e físicas) e 3,1% (apenas em lojas físicas).

    Dos quase 16 mil entrevistados, 25,4% pretende gastar entre R$1000 e R$2999 nas lojas online; 22% deve desembolsar de R$500 a R$999; 21,5% deve comprar em torno de R$100 e R$299; de R$300 a R$499 é a média escolhida por 17.5%, enquanto 8,9% reservou mais de R$3.000 para a data.
    Já no mundo físico, o cenário é um pouco diferente: 25,5% dos consumidores devem gastar de R$501 a R$1000; 22%, de R$1001 a R$3000; 20.5%, de R$101 a R$300; 17.9%, de R$301 a R$500; 7.4% até R$100 e 6.7% mais de três mil reais.

    Lista de desejos!

    O estudo revela também quais são os produtos que estão na lista de compra dos brasileiros:

    – Eletrônicos como notebooks, tablets e videogames fazem a cabeça de 33,8% dos brasileiros.

    – Roupas entram na cesta de compra 0,4%.

    – 27,1% vão aproveitar a BF para trocar de smartphone.

    – 25.8% Atualizam a biblioteca comprando livros (digitais e físicos).

    – 25.3% Calçados.

    – 25.2% Eletrônicos (home theater, aparelho de som, babá eletrônica, etc.).

    – 24.1% Eletrodomésticos (geladeira, fogão, microondas, lavadora, adega, etc.).

    – 22.5% Viagem (passagem, hospedagem, pacotes, etc.).

    – 21.7% Eletroportáteis (batedeira, liquidificador, ferro de passar, secador, etc.).

    – 20.7% Beleza e bem estar (maquiagem e cosméticos).

    – 20.7% Artigos esportivos (tênis, roupa, suplementos, equipamentos).

    – 19.2% Acessórios (bolsa, mochila, boné, relógio, etc.).

    – 17.4% Móveis e decoração.

    – 16.5% Games (consoles e jogos).

    – 15% TV.

    – 13.9% Perfumes.

    – 11.2% Bebidas (vinho, cerveja, destilados).

    Como fazer a melhor escolha?

    Diante de tantas ofertas, é preciso atenção para escolher as melhores opções e condições de pagamento. E a boa e velha pesquisa é a melhor aliada para garantir uma compra sem arrependimentos. A pesquisa mostra que a internet é a primeira fonte de buscas dos consumidores. Dentro do mundo online, 26,8% vão direto aos sites das lojas para acompanhar as ofertas, 22,8% fazem buscas em sites diversos e 21,1% usam comparadores de preço.

    Apesar dos computadores ainda serem a plataforma preferida para quem vai fazer às compras online, este cenário vem mudando desde o ano passado, onde 23% das vendas foram realizadas via mobile. Neste ano, 43,2% das pessoas pretende buscar e comprar usando notebook/desktop, enquanto 27,2% devem fazer o processo pelo smartphone. Há quem vá pesquisar usando o smartphone e finalizar a compra no notebook (21,4%) e 8,2% pretende fazer o inverso: buscar pelo computador e comprar pelo celular.

    Super ofertas e dinheiro de volta… quem não quer?!

    Quando o assunto é a melhor condição, o menor preço, oferta de cashback e frete grátis são fatores decisivos dos consumidores do e-commerce. O benefício do cashback é um plus para receber de volta uma parte do valor da compra e ainda aproveitar ofertas personalizadas de super cashback.

    Para garantir o cashback, o consumidor tem sempre que entrar na loja por meio do site ou app do Méliuz. Isto não altera o preço dos produtos anunciados, mas permite que o parceiro saiba que aquela compra foi feita a partir da plataforma – é daí que vem o dinheiro devolvido O Méliuz já devolveu mais de 1 milhão de reais aos seus usuários, sem custo, e conta com mais de 1600 lojas parceiras em todo o Brasil.

    Atenção aos horários de pico

    Já na madrugada de quinta para sexta os consumidores estarão a postos para aproveitar as ofertas. Os números revelam que 34,3% deve bater ponto logo cedo na BF na madrugada. Na manhã da própria sexta (29), 31,7% estarão ligados, 15,6% vai ficar atenta às ofertas durante a tarde e 18,4% vai finalizar as compras na noite da sexta. Engana-se quem acha que os consumidores comprarão somente no grande dia. Muita gente começa a ficar de olho nas ofertas durante todo o mês de novembro (45,2%).

    Consumidores indecisos

    Apesar da popularização da data e alta adesão dos consumidores, ainda existem algumas barreiras quando o assunto é e-commerce. Fatores como valor do frete, insegurança e atendimento impedem alguns de aproveitar as ofertas no mundo online. A maioria dos indecisos aponta a falta de dinheiro e desconfiança sobre as ofertas como principais culpados.

    SEM COMENTÁRIOS

    Deixe seu comentário

    Sair da versão mobile