Publicidade
Início Segurança Mercado (Segurança) NATOSAFE lança solução biométrica de identificação de recém-nascidos

NATOSAFE lança solução biométrica de identificação de recém-nascidos

0
Publicidade

A NATOSAFE, anunciou nesta terça-feira, 20, durante o Biometrics HITech Summit 2019, em São Paulo, a solução biométrica de identificação para crianças, de zero à cinco anos de idade. “Acreditamos que essa solução inovadora contribui para um mundo mais seguro para as crianças, pois possibilita estabelecer um documento de identificação entre o bebê e a sua mãe, por meio de impressão digital totalmente única”, esclarece Ismael  Akiyama Cruz, fundador da empresa, com sede em Curitiba.

Segundo o executivo, diferentemente dos processos atuais que coletam apenas as impressões plantares e palmares em tinta ou scanners do neonatal, a solução da NATOSAFE é composta por dispositivos e ferramentas capazes de coletar impressões digitais desde as primeiras horas de vida, gerando uma identificação biométrica única. “Essa solução foi desenvolvida de modo que irá acompanhar o indivíduo ao longo de toda a sua vida, desde o nascimento”, afirma Cruz.

“Ressalta-se que a solução também atende os requisitos de compatibilidade, rastreabilidade, unicidade e segurança da informação, capturando os dados automaticamente através de algoritmos inteligentes”, reforça o fundador da NATOSAFE, esclarecendo que a solução destina-se  a maternidades, hospitais, postos de vacinação, clínicas médicas, centros e institutos de identificação, cartórios de registro civil e até no controle de fronteiras, entre outros. “Até 2023, pretendemos ser uma plataforma referência global em soluções para identificação biométrica de crianças”, assegura Cruz.

A empresa já desenvolve um projeto piloto em dois hospitais de Pernambuco, onde 3 mil crianças já foram cadastradas.  Em breve, 4 hospitais no Paraná (Londrina, Maringá e dois em Curitiba).

De acordo com Cruz, a solução já teve interesse da Onu e da Fundação Melinda e  Bill Gates, uma vez que existe uma preocupação das entidades em identificar corretamente crianças refugiadas. “Acontece de um médico atender uma criança refugiada, receitar medicamentos, por exemplo, e ao voltar um tempo depois não consegue identificar com certeza se foi aquela a criança atendida originariamente”.

Números alarmantes

A tecnologia desenvolvida pela NATOSAFE nasce diante dos números alarmantes que envolvem o tráfico de crianças: são mais de 1.2 milhão, o que significa mais de 3 mil crianças por dia. Esse volume só fica atrás do tráfico de drogas e de armas. Ao todo, o número registrado de crianças desaparecidas no mundo supera 8 milhões, atingindo 32 mil no Brasil por ano (cerca de 4 crianças por hora).  Sem contar as crianças trocadas em maternidades, sendo que só no Brasil são cerca de 800 crianças por ano.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile