Publicidade
Início Segurança Cases Carteira de vacinação infantil usa sensores de impressão digital

Carteira de vacinação infantil usa sensores de impressão digital

0
Publicidade

 A partir deste mês, os sensores de impressão digital da norte-americana Lumidigm, parte da HID Global, passam a integrar as soluções criadas pelo VaxTrac – contribuindo para interromper o desperdício de vacinas de 31 novas clínicas no sul do Benin (país africano que tem o francês como idioma oficial). Na versão mais recente dessa tecnologia, o sistema cadastra as digitais da mãe e da criança para alcançar um nível ainda mais alto de segurança e confiabilidade. Desde quando começou a ser incorporada no rastreamento do histórico de vacinação, a biometria levou a um aumento de 10% no número de mulheres que retornam às clínicas conforme indicação dos profissionais de saúde naquele país.

“As mães estão sempre perguntando quando cadastraremos as impressões digitais de seus bebês”, diz um agente de saúde do município de Allada. “Há uma demanda muito grande, porque elas estão gostando da novidade”, diz. Mais do que tudo, trata-se de uma necessidade. O desperdício de vacinas naquela região gira em torno de 50%. Com dispositivos móveis de baixo custo, o VaxTrac está resolvendo o problema através de um registro de vacinação biométrico operado e gerido em campo. Com os sensores de impressão digital da Lumidigm, adultos e crianças estão sendo identificados e cadastrados no sistema. Quando um paciente retorna, seu histórico de vacinação é consultado a partir da sua identificação biométrica, permitindo que o profissional de saúde ofereça atendimento adequado.

Essa iniciativa está sendo viabilizada em larga escala pela Fundação Bill & Melinda Gates. Inclui desde o treinamento adequado dos agentes de saúde até a atualização do sistema VaxTrac, proporcionando melhor controle de vacinação, reduzindo o desperdício de material e podendo vacinar mais pessoas e salvar mais vidas. De acordo com Meredith Baker, gerente de projeto da VaxTrac, a expansão no Benin está sendo incrível. “É gratificante ver como um projeto de teve início contando apenas com um notebook e um escâner de impressão digital foi tomando essa proporção, com uma vasta rede de profissionais de saúde altamente qualificados e que estão comprometidos com nosso projeto, divulgando orgulhosamente que suas clínicas contam com o VaxTrac.”

O registro biométrico de vacinação também permite comunicação em tempo real para a gestão da cadeia de suprimentos, reduzindo ainda mais o desperdício. A primeira implantação de sensores de impressão digital Lumidigm no continente africano aconteceu em março de 2013 e continua em expansão. Com o sistema de autenticação biométrica, o paciente é identificado imediatamente e todas as informações de vacinação estão acessíveis no banco de dados do computador. Os profissionais de saúde ficam sabendo na hora quais vacinas devem ser ministradas e quantas doses são necessárias, podendo distribuir com mais efetividade para o restante da população.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário Cancelar resposta

Sair da versão mobile