Publicidade
Início Notícias Inovação Pesquisa global mostra que PMEs são menos tecnofóbicas do que aparentam

Pesquisa global mostra que PMEs são menos tecnofóbicas do que aparentam

0
Publicidade

A tecnologia é prioridade para as pequenas e médias empresas (PMEs) em todo o mundo e um importante elemento de transformação. Esta é uma das várias constatações de uma pesquisa da Oxford Economics, encomendada pela SAP junto a 2.100 executivos de PMEs com receita anual entre US$ 20 milhões e US$ 750 milhões, em 21 países – entre eles o Brasil.

Segundo o levantamento, os pequenos e médios empresários acreditam que estão preparados para competir com grandes companhias e que possuem algumas vantagens sobre elas. Os resultados, segundo os pesquisadores, derrubam alguns estereótipos do mercado de que empresas com menor porte são, em grande parte, tecnofóbicas.

Os dados indicam que investir em novas tecnologias é uma prioridade estratégica à medida que as PMEs remodelam seus negócios para o mercado global, incluindo software de gestão empresarial, análise de dados, mobilidade, mídias sociais e computação em nuvem.

Quase dois terços dos entrevistados acreditam fortemente que tecnologia ajuda a conquistar longevidade e crescimento sustentável. Em geral, 35% dos executivos se identificam como usuários precoces (early adopters) e o número cresce para 47% nas empresas norte-americanas.

Os pesquisadores avaliam que a concorrência mundial continuará aumentando durante os próximos três anos. Dentre deste contexto, a reformulação dos modelos de negócio, produtos e das estratégias de entrada no mercado são fundamentais para a competitividade. O consenso é que isso só pode ser alcançado por meio do uso de novas tecnologias.

As estatísticas apontam que a tecnologia inovadora é importante para ajudar o crescimento. Mais de um terço dos entrevistados cita a criação de uma cultura de inovação como uma grande prioridade em seus esforços de transformação. 55% dos mercados emergentes (Brasil, Chile, China, Colômbia, República Checa, Hungria, Índia, México, Rússia e África do Sul) e 58% das empresas latino-americanas dão grande ênfase para a inovação.

Empresas de mercados emergentes também são mais propensas (54%) a esperar que o crescimento seja conduzido pela oferta de novos produtos e serviços do que aquelas em mercados desenvolvidos (43%).

A mobilidade é a principal tecnologia indutora de vantagem competitiva para as PMEs, bem como uma importante facilitadora da inovação. Os entrevistados citam a inovação avançada como o maior benefício da adoção da mobilidade.

No âmbito das novas tecnologias, o estudo revela que a computação em nuvem terá um crescimento de 22% na região da América Latina, com aceitação mais acelerada (31%) dentro do mercado de serviços profissionais e bom desempenho no comércio atacadista.

As soluções analíticas tiveram aumento de 20%, com picos de 30% no segmento de bens de consumo. Na área de mobilidade, 47% dos entrevistados esperam que a tecnologia seja usada pela empresa em três anos, ao mesmo tempo em que haverá aumento de 12% no uso das redes sociais com fins corporativos. Aproximadamente a metade (47%) já utiliza algum tipo de solução de gestão de negócios.

“As pequenas e médias empresas da América Latina têm enormes oportunidades para crescer e se diversificar, mas precisam contar com ferramentas tecnológicas sólidas, poderosas e inovadoras para elevar a competitividade, levando em consideração que a concorrência vem das mais diferentes partes do planeta”, diz Claudia Boeri, diretora de ecossistema e canais da SAP para a América Latina.

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário Cancelar resposta

Sair da versão mobile