TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Como atender à demanda por conexão celular no interior dos prédios

Postado em: 24/03/2019, às 22:11 por Elayne Martins

O crescente número de dispositivos móveis e de conexões dentro das dependências dos prédios mostra a importância no entendimento da natureza das conexões In-Building, em particular para a conectividade celular. Dispositivos móveis são a primeira fonte de conectividade para a maior parte das pessoas e, cada vez mais, para as coisas (exemplos disso são a Internet das Coisas e a comunicação entre máquinas). Com o desenvolvimento da indústria em direção ao 5G, a comunicação móvel interna se tornará cada vez mais dominante. O problema é que somente cerca de 3% dos edifícios atuais utilizam redes In-Builidng Wireless (IBW) para conectividade móvel. Neste artigo, mostramos a necessidade dessa tecnologia e como as construtoras e donos de edifícios podem expandir o IBW em seus imóveis.

IBW x realidade dos prédios

Poucas pessoas atualmente vivem sem estar conectadas a algum tipo de conexão celular ou rede sem fio. As redes Wi-Fi foram idealizadas como o melhor sistema possível para os dados, não para voz, e mesmo para dados elas só funcionam quando o usuário tem acesso à rede e está logado. Nos negócios, tudo, desde conferências telefônicas até acompanhamento de ativos, necessita de uma conexão wireless confiável.  Estudos recentes encomendados por grandes empresas de telefonia, como a AT&T, mostraram que entre 70 e 80 por cento de todas as ligações telefônicas eram originadas de terminais em prédios. E essa porcentagem só tende a crescer, com as aplicações wireless cada vez mais presentes em casa ou nos escritórios. Muitos restaurantes, por exemplo, estão utilizando apps para divulgar seus produtos e serviços em tempo real e assim entender melhor o comportamento e desejos de seus usuários. As tendências do design dos novos escritórios estão rumando para os espaços abertos e compartilhados, nos quais os empregados nem sempre ocupam a mesma mesa todos os dias. A chegada do 5G acelerará o processo rumo a um futuro predominante wireless, pois entregará uma taxa de transferência com maior confiabilidade e menor latência que as gerações anteriores de tecnologia móvel.

No entanto, existe uma grande barreira no caminho entre nossas expectativas de conectividade para o futuro – o estado atual da cobertura nos prédios. A maioria dos edifícios atualmente depende de redes outdoor para entregar a cobertura e capacidade necessárias, mas diversos edifícios não recebem os sinais de forma adequada. Paredes de concreto grossas, estruturas de aço e mesmo os vidros podem bloquear ou restringir o sinal wireless nos edifícios. O resultado é a má qualidade do sinal, e em alguns casos, a falta de sinal de celular no interior do prédio.

Há um gap entre o número de usuários que precisam cada vez mais da conectividade wireless e a disponibilidade dessas conexões. Muitas pessoas acreditam que os provedores do serviço via celular são os responsáveis pela cobertura em todos os lugares, mas, na verdade, eles só podem garantir sua cobertura ao ar livre. Os donos dos edifícios quase sempre carregam a responsabilidade de prover os serviços IBW.

Como acelerar as implementações IBW

Estar familiarizado com o problema é um passo fundamental na aceleração das implementações IBW. Em uma nova construção, a infraestrutura wireless precisa ser planejada e orçada da mesma forma que qualquer outro serviço básico para um edifício – ou seja, no mesmo estágio de design, como acontece com as redes de água, gás e eletricidade. Conectividade se tornou o "quarto serviço básico" e os donos de edifícios que conseguirem prover isso terão seus inquilinos mais felizes e maiores taxas de locação. Porém, as soluções de In-Building Wireless para atender a essas novas necessidades ainda são pouco contempladas nos projetos. 

A tecnologia IBW demanda cobertura por mais de uma operadora mobile, ao passo que mais empresas permitem aos seus empregados que tragam seus próprios dispositivos para o ambiente de trabalho, o que demanda mais suporte e exige mais de uma operadora de serviços wireless.

Na etapa da construção, os fornecedores e revendas de serviços de IBW precisam explicar a necessidade da cobertura multioperadora desde a etapa inicial, pois nessa fase fica muito mais barata a instalação do que com o prédio pronto. Já na fase da comercialização, os donos de edifícios precisam ter conhecimento sobre a demanda de cobertura wireless e sobre o ROI (retorno sobre o investimento, da sigla em inglês) desse tipo de implementação.

Enquanto novos prédios podem ser idealizados para incorporar o IBW desde seu início, os antigos também devem ser considerados na adoção dessa infraestrutura, com o chamado retrofit. No caso dos empreendimentos já existentes, também deve ser enfatizado que sistemas modernos de IBW usam tecnologia digital e a infraestrutura atual de Ethernet e/ ou fibra para carregar o sinal até antenas remotas, assim reduzindo o custo e a complexidade da implementação de cabos coaxiais, que ainda são utilizados por muitos atualmente. Cabeamento coaxial pesado exige instaladores especializados, suporte para o cabeamento e outras estruturas, o que aumenta o tempo de instalação e o custo, enquanto que um sistema moderno de IBW, que utiliza cabos categoria 6a e fibra, pode ser instalado por menos da metade do valor gasto com sistemas antigos.

Com a tecnologia digital, o sistema IBW se parece com as redes Wi-Fi padrão que a maioria dos edifícios já possui. Ele não exige instaladores especializados e custo de manutenção adicional, pois pode ser suportado por profissionais de TI internos. Muitos departamentos de tecnologia de empresas entendem intuitivamente a familiaridade entre o cabo Ethernet categoria 6a e o sistema de transporte de fibra, e os sistemas atuais IBW utilizam antenas remotas que se parecem com terminais Wi-Fi em termos de instalação. De fato, sistemas digitais IBW podem impulsionar os já existentes sistemas Ethernet e fibra, o que reduz significativamente os custos de instalação, sem impactar na qualidade dos serviços. Sistemas de fibra também são importantes para o futuro pois suportam o 5G que está por vir, sem que haja necessidade de nova infraestrutura de instalação.

A expansão dos sistemas IBW nos empreendimentos comerciais é inevitável. Os donos dos prédios estão descobrindo que podem aumentar seus lucros e as taxas de locação com a instalação dessa tecnologia. Novos modelos de negócios já apareceram com o avanço do IBW, e com a tecnologia digital aprimorada, os sistemas se tornarão cada vez mais acessíveis e rentáveis que nunca.

Elayne Martins, diretora de vendas corporativas da CommScope no Brasil.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial