TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Tráfego global de data center em nuvem vai crescer quase 20 zettabytes, diz estudo

Postado em: 19/02/2018, às 14:37 por Redação

Impulsionado pelo crescimento das aplicações em nuvem, o tráfego dos data centers está crescendo rapidamente. O estudo Cisco Global Cloud Index (2016-2021) prevê que o tráfego global de data center em nuvem alcance 19,5 zettabytes (ZB) por ano até 2021, um aumento em relação a 6.0 ZB por ano em 2016 (crescimento de 3,3 vezes ou uma taxa de crescimento anual composta de 27% [CAGR, na sigla em inglês] de 2016 a 2021). Globalmente, o tráfego de data center em nuvem representará 95% do tráfego total de data centers até 2021, em comparação com 88% em 2016.

O relatório anual atualizado foca na virtualização dos data centers e na computação em nuvem, que se tornaram elementos fundamentais na transformação da maneira de como alguns serviços de rede de negócios e consumo são realizados.

De acordo com o estudo, tanto os aplicativos de consumo quanto os de negócios estão contribuindo para o crescente domínio de serviços na nuvem pela Internet. Para os consumidores, streaming de vídeo, redes sociais e buscas estão entre as aplicações de nuvem mais populares. Para os usuários empresariais, o Sistema de Gestão Empresarial (ERP, na sigla em inglês), a colaboração, a análise analítica e outras aplicações empresariais digitais representam as principais áreas de crescimento.

Segurança aprimorada e crescimento da nuvem impulsionado pela Internet das Coisas

No passado, as preocupações de segurança foram uma grande barreira para a adoção da nuvem. As melhorias na governança de data centers e no controle de dados ajudaram a minimizar o risco corporativo e a proteger melhor as informações dos consumidores. As inovações de segurança, combinadas com benefícios tangíveis de computação em nuvem, incluindo escalabilidade e economias de escala, desempenham papéis fundamentais para fomentar o crescimento da nuvem projetado no estudo.

Além disso, o crescimento de aplicações de Internet de Coisas (IoT) como carros inteligentes, cidades inteligentes, serviços de saúde e serviços públicos digitais conectados, requer soluções de computação e armazenamento escaláveis para acomodar demandas de data centers novas e em expansão. Em 2021, a Cisco espera que as conexões de IoT cheguem a 13,7 bilhões, contra 5,8 bilhões em 2016.

Data centers de hiperescala duplicarão

A crescente necessidade de recursos de data centers e nuvem levou ao desenvolvimento de data centers públicos em nuvem em larga escala, chamados de data centers de hiperescala. Na previsão deste ano, a expectativa é que, até 2021, haja 628 data centers de hiperescala globalmente, em comparação com 338 em 2016, crescimento de 1,9 vezes ou quase que o dobro ao longo do período de previsão. Em 2021, os data centers de hiperescala apoiarão:

• 53% de todos os servidores de data centers (27% em 2016)

• 69% de todo o poder de processamento do data center (41% em 2016)

• 65% de todos os dados armazenados em data centers (51% em 2016)

• 55% do tráfego de data centers (39% em 2016)

"O crescimento de aplicações de data centers claramente está aumentando neste novo mundo multicloud. Este crescimento projetado exigirá novas inovações, especialmente nas áreas de nuvens públicas, privadas e híbridas ", disse Kip Compton, vice-presidente do Grupo de Soluções e Plataforma de Nuvem da Cisco.
Destaques do Global Cloud Index e Principais Projeções:

1. Virtualização de data centers e crescimento da computação em nuvem

• Até 2021, 94% das cargas de trabalho e instâncias de computação serão processadas pelos data centers em nuvem; 6% serão processados por data centers tradicionais.

• As cargas de trabalho de data centers e as instâncias computacionais globais mais do que dobrarão (2,3 vezes) de 2016 a 2021; no entanto, as cargas de trabalho e as instâncias de computação na nuvem quase que triplicarão (2,7 vezes) durante o mesmo período.

• A densidade da carga de trabalho e das instâncias de computação para data centers em nuvem foi de 8,8 em 2016 e crescerá para 13,2 até 2021. Comparativamente, para os data centers tradicionais, a carga de trabalho e a densidade das instâncias de computação foi de 2,4 em 2016 e passará para 3,8 até 2021.

2. Crescimento nos dados armazenados alimentados por big data e IoT

• Globalmente, os dados armazenados em data centers quase que quintuplicarão até 2021, atingindo 1,3 ZB até 2021, um aumento de 4,6 vezes (um CAGR de 36%) em relação a 286 EB em 2016.

• Dados de big data chegarão a 403 exabytes (EB) até 2021, um aumento de quase 8 vezes em relação a 25 EB em 2016. Big data representará 30% dos dados armazenados em data centers até 2021, ante 18% em 2016.

• A quantidade de dados armazenados em dispositivos será 4,5 vezes superior aos dados armazenados em data centers, com 5,9 ZB até 2021.

• Impulsionada em grande parte pela IoT, a quantidade total de dados criados (e não necessariamente armazenados) por qualquer dispositivo atingirá 847 ZB por ano até 2021, um aumento em relação a 218 ZB por ano em 2016. Os dados criados duplicaram em termos de magnitude, em comparação com os dados armazenados.

3. Aplicativos contribuem para aumentar o tráfego do centro de dados global

• Até 2021, big data representará 20% (2.5 ZB anual, 209 EB mensalmente) do tráfego em data centers, em comparação com 12% (593 EB anual, 49 EB mensais) em 2016.

• Até 2021, o streaming de vídeo representará 10% do tráfego em data centers, em comparação com 9% em 2016.

• Até 2021, os vídeos representarão 85% do tráfego de data centers para usuários finais, em comparação com 78% em 2016.

• Até 2021, as buscas representarão 20% do tráfego nos data centers até 2021, em comparação com 28% em 2016.

• Até 2021, as redes sociais representarão 22% do tráfego nos data centers, em comparação com 20% em 2016.

4. SaaS, modelo de serviço de nuvem mais popular até 2021

• Até 2021, 75% (402 milhões) do total das cargas de trabalho na nuvem e instâncias de computação serão as cargas de trabalho e as instâncias computacionais de SaaS (Software como Serviço), um aumento de 71% (141 milhões) em 2016. (23% de CAGR de 2016 a 2021).

• Até 2021, 16% (85 milhões) do total das cargas de trabalho e instâncias de computação na nuvem serão as cargas de trabalho e as instâncias computacionais de IaaS (Infraestrutura como Serviço), uma queda em relação a 21% (42 milhões) em 2016. (15% de CAGR de 2016 a 2021).

• Até 2021, 9% (46 milhões) do total das cargas de trabalho de nuvem e instâncias de computação serão as cargas de trabalho e as instâncias de computação de PaaS (Plataforma como Serviço), um amento em relação a 8% (16 milhões) em 2016. (23% de CAGR de 2016 a 2021).

Para fins do estudo, a computação em nuvem inclui plataformas que permitem acesso de rede sob demanda a um pool compartilhado de recursos de computação configuráveis (por exemplo, redes, servidores, armazenamento, aplicativos e serviços), que podem ser rapidamente provisionados e lançados com um mínimo de esforço de gerenciamento ou interação do provedor de serviços. Os modelos de implantação incluem nuvens privadas, públicas e híbridas. Os data centers em nuvem podem ser operados por provedores de serviços, bem como por empresas privadas.

Tags: , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top