Efeito China provoca nova venda generalizada no setor de tecnologia e volta a derrubar ações

0
0

Os papéis das empresas de tecnologia voltaram a registrar forte queda nesta terça-feira, 1º, devido às preocupações com o mercado financeiro chinês e a decisão do governo central de abandonar a estratégia de sustentar as bolsas locais por meio de compras de ações em larga escala. Embalados pelo pessimismo, os investidores correram para vender mais ações, fazendo com que o mercado registrasse o segundo sell-off em duas semanas (sell-off é quando os investidores optam por vender rapidamente os ativos que possuem, geralmente após alguma notícia negativa).

O índice Dow Jones caiu novamente para abaixo de 10%, desde o pico de maio. O índice Standard & Poor's 500 caiu 2,7%, assim como o índice Nasdaq Composite, que reúne as maiores companhias dos setores de alta tecnologia em eletrônica, informática e telecomunicações, fechou em queda de 2,5% .

A fuga de ativos ligados à China pressionou as ações de tecnologia. Os papéis da Netflix lideravam as perdas no dia da Nasdaq, com queda de mais de 8%. O forte recuo das ações da empresa que oferece serviço de streaming de vídeo pela internet foi causado também por novos rumores envolvendo sua situação financeira. Outros destaques de baixa foram os papéis da GoPro e da Apple, que desabaram 6,22% e 4,47%, respectivamente. Mesmo as ações blue chips da internet registraram forte recuo nesta terça-feira. A Amazon caiu 2,7%, o Facebook baixou 2,4% e o Google, 2,8%.

As ações da Apple, por exemplo, fecharam o pregão negociadas a US$ 107,72, o que representa uma queda de mais de 14% na comparação com os US$ 125,42, preço de encerramento do dia 30 de junho. Isso significa que as ações da empresa estão agora no vermelho no ano. O tombo das ações da GoPro foi maior ainda. Utilizando a mesma base de comparação, os papéis da empresa tiveram queda de mais de 17%, de US$ 52,72 para US$ 43,69.

A Apple é apenas o exemplo mais ilustre das turbulências provocadas no mercado de capitais devido aos temores sobre a desaceleração da economia chinesa, já que nenhuma empresa até agora saiu ilesa.

Deixe seu comentário