Wipro mantém otimismo com crescimento na região da América Latina

0
0

Ao contrário da expectativa econômica geral, a Wipro espera que o ano de 2015 seja marcado pela concretização de vários contratos que foram prospectados no ano passado. A informação é de Anyndya Roy, gerente geral e head da empresa na América Latina, acrescentando que a empresa deve fechar o ano fiscal no final deste mês com um crescimento expressivo, sem contudo revelar números, por ser uma companhia aberta..

Dos 1050 clientes que a gigante de serviços de TI e outsourcing de origem indiana contabiliza mundialmente, 40 estão na região latino-americana, principalmente nos segmentos de finanças, utilities, recursos naturais, retail e bens de consumo.
A empresa tem foco na oferta de serviços de infraestrutura, gerenciamento de informação e analytics, serviços de aplicações de negócios (SAP e Oracle, predominantemente) e BPO. Na região a companhia possui cerca 1.100 funcionários, 700 dos quais estão no Brasil, onde a empresa está presente desde 2006, com uma sede comercial em São Paulo e um Centro de Entrega Global em Curitiba.

Além do Brasil, também atendem à América Latina os Centros de Entrega Global instalados na cidade de Monterrey e Cuautitlán, no México. ''Para a região a estratégia é combinar cada vez mais o padrão global de conhecimento à dinâmica e cultura locais, além de dobrar o número de colaboradores brasileiros nos próximos dois anos'', explica Roy. A Wipro possui ainda operações diretas na Argentina, Peru e Colômbia.

No Brasil, uma das principais formas de contratação é através da formação de jovens no Centro que mantém na cidade de Curitiba. Além dos cursos de proficiência em línguas, Inglês e Espanhol, também inclui formação em SAP, Java, Oracle e tecnologias digitais. Após o estágio de preparação e formação, os alunos terão a oportunidade de trabalhar em variados projetos locais e globais. "Formamos profissionais aptos a trabalhar em qualquer unidade da empresa, mesmo fora da região da América Latina'', explica Roy.

"Para nós, este programa de contratação tem o objetivo de desenvolver e promover o talento local, que nos ajuda a construir um profundo contato com a região e com a comunidade local em que operamos. O Brasil é um mercado importante para nós, e este programa de contratação durante a graduação é um elemento central da nossa estratégia de crescimento, além de reiterar o nosso compromisso com a região. Estou confiante de que isso também vai ajudar a construir um canal de talentos e trabalhadores locais altamente qualificados em TI para a indústria em geral", afirma Roy.

Especialização

Um dos principais segmentos de BPO da Wipro na região é o de Procurement, na qual tem 250 profissionais dedicados, segmento que ela começou a atuar globalmente em 1995 e hoje traz retorno de cerca de US$ 2 bilhões ao ano em receitas mundialmente. Outro setor é do retail, onde mantém uma parceria histórica com a Oracle. A empresa começou sua atividade no Brasil quando adquiriu uma empresa portuguesa especializada em Oracle, que mantinha um filial em Curitiba.

Roy diz ainda, que a empresa hoje tem também capacidade global para atender clientes nas novas soluções de Big Data e analytics e cloud computing. Para suportar suas operações na região a empresa contrata os data centers da Alog e da Level 3.

Números

No ano passado, encerrado em 31 de março de 2014 a Wipro atingiu a cifra de U$$ 6,98 bilhões em receita global e uma força de trabalho de mais de 156 mil funcionários. Os números confirmam o resultado do relatório recém publicado pela Brand Finance, empresa global em avaliação de marcas, que classificou a Wipro entre as marcas de TI que crescem mais rápido no mundo.

O mercado classificado como Américas, cresceu 11% em relação ao ano anterior; Índia e Oriente Médio cresceu 21,2% e APAC e outros países emergentes 8,1%.

Como unidade de negócios, os setores que mais se destacaram no item crescimento foi Saúde e Life Sciences, com 20,3% em relação ao ano anterior; Energia e Utilities, com 13,4% de crescimento e Mídia e Telecom, com 11,7% de crescimento.

Por linhas de serviços, o segmento de Serviços de Infraestrutura cresceu 20,5% em relação ao ano de 2013; BPO, 16,8% e Business Application Services, 8,9% em relação ao ano anterior.

No 3º trimestre fiscal, encerrado em 31 de dezembro de 2014, a receita bruta acumulada era de US$ 5,522 bilhões, com lucro bruto liquido de US$ 1,018 bilhão. "Estamos muito confiantes que nosso números na região no fim do ano fiscal, agora em março, serão também muito expressivos", finaliza Roy.

Deixe seu comentário