Quatro em cada dez sul-americanos acreditam que a tecnologia já prejudicou seus relacionamentos

0
30

Quatro em cada dez pessoas da América do Sul acreditam que o uso da tecnologia já prejudicou seus relacionamentos, de acordo com uma nova pesquisa da Getty Images. O estudo, denominado "Visual GPS", também aponta que, ao usar mídias sociais, 47% dos entrevistados da região geralmente sentem que suas vidas não são tão boas quanto as de outras pessoas.

Esse número aumenta nas gerações mais jovens dos sul-americanos. Enquanto 30% dos Baby Boomers responderam que sentem a autovalorização da própria vida diminuir em comparação com a de terceiros ao usar mídias sociais, os dados aumentam para 40% na Geração X, 55% nos Millenials e 63% na Geração Z. 

Por conta dessas e outras consequências, a atenção para a quantidade de tempo gasto em mídias sociais cresce. Ainda segundo a pesquisa, 35% dos respondentes da América do Sul dizem usar dispositivos de tecnologia para se lembrar de desconectar e diminuir o tempo de utilização. 

O estudo Visual GPS foi realizado pela Getty Images em parceria com a YouGov, empresa de pesquisa de mercado global, e realizada com mais de 10 mil consumidores e profissionais, sendo mais de 1,5 mil da América do Sul. Foram abordados temas como tecnologia, sustentabilidade e bem-estar para oferecer insights que ajudam clientes da empresa em suas estratégias. 

Lado positivo 

O lado positivo da tecnologia também foi abordado. Segundo a pesquisa, 91% dos entrevistados na América do Sul acham que ter um celular ajuda a ficar conectado com o que acontece no mundo. Ainda na região, 86% acreditam que a realidade virtual abre portas para experiências que não seriam possíveis de outra forma, enquanto 86% disseram que a tecnologia ajuda a se conectar a pessoas com quem se importam. 

Dados do Visual GPS ainda mostram que os sul-americanos são os menos reticentes em relação à inteligência artificial. Apenas 28% ficam nervosos com o tema. Já na Ásia e Pacífico, são 39%, enquanto o número cresce para 42% na Europa e para 54% na América do Norte. 

Deixe seu comentário