Mais de 1.000 helicópteros compartilham dados com a Airbus Helicopters

0
13

Em apenas um ano, a Airbus Helicopters quase dobrou o número de helicópteros que compartilham dados de voo e manutenção com a empresa. Isso possibilita que a Airbus avance na criação de um ecossistema de helicópteros conectados, no qual dados de fontes diferentes são compartilhados e analisados, permitindo que operadores compreendam seus dados como valor de negócio.

"A coleta de dados é possível graças à nossa estratégia de desenvolver soluções digitais como HUMS, cartões de registro digitais e livros de registro digitais, que permitem que clientes digitalizem suas operações. Uma vez que nossos operadores estejam conectados aos sistemas da Airbus, podemos começar a compartilhar dados, fazer análises e fazer recomendações que reduzam encargos de manutenção e custos de controle, bem como aumentar a segurança e disponibilidade", afirma Christoph Zammert, vice-presidente executivo de Customer Support & Services da Airbus Helicopters.

Um número cada vez maior de clientes tem compreendido o valor da ação. A Hungarian Air Ambulance foi a última a entrar no sistema, digitalizando sua operação e usando um amplo conjunto de soluções e análises digitais da Airbus. A operadora de serviços médicos de emergência também foi o primeiro cliente do serviço de análise de dados Flight Analyser, que apoia a segurança operacional, analisando dados da aeronave e de voo para identificar riscos antes que ocorram incidentes ou acidentes.

Dados de manutenção de helicópteros são essenciais para análise. Por isso, a Airbus iniciou acordos com fornecedores de sistemas de informação de manutenção (MIS), permitindo que seus bancos de dados MIS sejam conectados aos sistemas da Airbus. Esses acordos permitem a coleta de dados de manutenção em tempo real. Durante a Heli-Expo 2020, quatro outros fornecedores de MIS (ADMS, IXARYS, 2MoRO e 135ACM) assinaram acordos com a Airbus Helicopters, unindo-se à MRX Systems, Rusada, Rambo, Traxxall, Lundin Software e Aircraft Maintenance Systems, que já haviam firmado um acordo no ano passado.

Um serviço de análise de dados que já apresenta resultados é o Flyscan, de manutenção preditiva. Desde o seu lançamento em 2017, o sistema analisa os dados HUMS de cerca de 100 helicópteros. Em média, esses operadores afirmam receber cerca de seis recomendações de manutenção por aeronave por ano, o que permite que eles evitem duas situações de AOG por ano, número que a Airbus pretende aumentar ao longo do tempo. Para algumas operadoras, isso representa uma economia de 35 mil euros por dia de AOG evitado.

Além disso, o domínio preditivo do Flyscan aumentou recentemente para incluir novos tipos de dados além de vibrações (monitoramento dinâmico de saúde de componentes), como uso de dados, parâmetros de voo (a partir de gravadores de dados de voo) e códigos aviônicos.

A Airbus também acrescentou a seu portfólio um novo sistema modular de monitoramento de conformidade. Chamada Flightastic, a plataforma digital oferece um livro de registro de piloto, gerenciamento de qualificações, gerenciamento de atividades de voo e monitoramento de conformidade em um só sistema.

Deixe seu comentário