Ações do Twitter atingem nível mais baixo desde a realização do IPO

0

As ações do Twitter voltaram a despencar nesta segunda-feira, 3, devido às perspectivas sombrias de crescimento do número de usuários da rede de microblogs. Na realidade, os papéis da empresa têm oscilado fortemente deste a semana passada quando divulgou os resultados financeiros do segundo trimestre, já que fechou o período com prejuízo de US$ 136,6 milhões, embora a receita tenha crescido 61%, para US$ 502,4 milhões.

As ações do Twitter caíram 5,6% nesta segunda, 3, negociadas a US$ 29,27, o menor preço desde novembro 2013, quando realizou sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Isso empurrou o seu valor de mercado para abaixo de US$ 20 bilhões, tornando a empresa mais atraente para potenciais compradores, como o Google, segundo alguns analistas de Wall Street.

Embora haja também quem considere difícil falar se o Twitter pode ser transformar em um alvo de aquisição, a queda forte no preço da ação de uma empresa pode ser um fator gerador de especulações envolvendo uma possível fusão ou aquisição. "Às vezes, um mergulho no preço de negociação de uma ação pode gerar discussões nesse sentido", disse Ted Hollifield, cochefe da empresa especializada em fusões e aquisições Alston & Bird LLP, à Bloomberg.

Na semana passada, Jack Dorsey, diretor-executivo interino e cofundador do Twitter, e o diretor financeiro, Anthony Noto, admitiram, durante teleconferência com investidores, que vai demorar um pouco para que haja um crescimento no de usuários da rede de microblogs. Eles também observaram que a procura dos anunciantes também diminuiu.

Mesmo diante desse cenário, a aquisição do Twitter, seja pelo Google, seja pelo Facebook, seria um dos maiores, senão o maior, negócio envolvendo uma empresa de internet.

Segundo os analistas, o mercado também estaria olhando para a saída da empresa de funcionários importantes. Dois executivos deixaram o Twitter no dia 28 de julho, no mesmo dia em que divulgou seus resultados trimestrais. Todd Jackson, que ajudou a desenvolver o produto Highlights, partiu para o Dropbox, enquanto Christian Oestlien, que ajudou a impulsionar o crescimento, vai para o YouTube, do Google. Trevor O'Brien também anunciou sua saída alguns dias mais tarde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui