Fabricante de pneus troca ERP por BI como sistema de gestão

0
53

A Rinaldi, fábrica de pneus e câmaras de ar para motocicletas off-road e on-road, motonetas, ciclomotores, tratores agrícolas (linha leve), charretes e industrial não motorizada, localizada no Rio Grande do Sul, decidiu não esperar mais pelos trâmites do tradicional ERP e transformou o BI em seu sistema de gestão.

A companhia, que ocupa uma área industrial de 35 mil m², onde cerca de 700 colaboradores atuam no processamento de 800 toneladas de matérias-primas ao mês, exporta para 26 países e ocupa cerca de 20% do mercado de pneus para motocicletas no Brasil. Para suportar este cenário em constante crescimento, apostou em uma gestão data driven. Por meio do BI – a organização utiliza o BIMachine, plataforma nacional de BI e Analytics -, começou por conectar e cruzar todos os sistemas da empresa, aplicando a inteligência artificial em suas informações comerciais, gerando indicadores, gráficos e mapas para decisões mais assertivas.

Sem a solução, os gestores passavam 80% do tempo tabulando dados e apenas 20% analisando-os. É o que explica o gerente comercial da empresa, Iran Pedroso. "Não podemos gerir ou administrar aquilo que não conseguimos medir. Além disso, o mercado é extremamente dinâmico e exige acompanhamento em tempo real de tudo que acontece dentro e fora da companhia. Sendo assim, se formos esperar para entrar no ERP, gerar relatórios, transferir para o excel e só depois estudar as informações, o mercado já mudou novamente", explica.

Pedroso citou na prática a importância desse processo. "Trabalhamos com pneus para motocicletas, onde a topografia e o clima de muitas outras regiões do país são consideradas mais adaptáveis para motocicletas do que a nossa, ou seja, precisamos da informação de cada uma dessas cidades, quantos parceiros temos no local, quais produtos vendemos mais, enfim, essas visões de mercado devem ser fornecidas em tempo real. E isso a solução também nos proporciona", complementa.

São muitas as perguntas necessárias no universo comercial de uma companhia e a ferramenta responde todas elas muito rapidamente. "Quem está e quem não está comprando, quando e onde estou vendendo, se minha equipe está performando, quais são os melhores produtos, as piores e melhores margens, projeção de fechamento, entre outras questões que nos fazem decidir a melhor ação e decisão estratégica, na hora certa.

Autonomia e expansão em pouco tempo

A Rinaldi é autônoma na utilização da plataforma. "Fica por conta da nossa equipe, após a capacitação na Universidade da BIMachine, expandir o projeto para as demais áreas da empresa", revela Pedroso.

Para o gestor de TI da empresa, Juliano Ferro, depois da implementação da solução, as decisões estratégicas são tomadas sempre baseadas nas informações corretas e que já foram muito bem analisadas.

"A BIMachine agregou praticidade ao nosso trabalho, pois agora conseguimos cruzar informações com as entidades externas – o que traz um resultado mais eficiente. Além disso, não temos documentos, planilhas, nada. Toda essa expansão tecnológica será, dentro de algum tempo, o sistema de gestão da Rinaldi. Ou seja, vai ser a consolidação do ambiente de trabalho de todas as áreas da organização", diz.

Os resultados nesses dois anos de utilização da solução são evidentes, mas foi este ano que as melhores decisões precisaram ser tomadas, pois a pandemia gerou um aumento não apenas no faturamento, mas na demanda também.

"Com a explosão do mercado das motocicletas de delivery, os motoboys de Porto Alegre começaram a rodar o equivalente à distância da capital até Florianópolis, ou seja, a necessidade de revisão e troca de peças importantes, como os pneus, se tornou ainda maior. Estimamos que houve aumento de 30% a 40% nesse segmento, e o BI foi fundamental para que conseguíssemos acompanhar, entender e atender a essa nova realidade", revela Pedroso.

Ferro também explica que as informações geradas pela solução, como a quantidade de pneus e câmaras de ar vendidos, as médias e o acumulado, tudo isso sendo visualizado em uma tela simples e em tempo real, permitiu que o acompanhamento da performance da empresa fosse extremamente eficiente, acionando a equipe em tudo que era preciso mudar ou melhorar", revela o especialista em TI.

Para a Rinaldi, o dinamismo e amadurecimento da ferramenta é fundamental para que o projeto possa se expandir dentro da organização. Eles sabem que quanto mais gente estiver envolvida, mais visões e sugestões de qualidade chegarão aos gestores – grandes responsáveis pela tomada de decisão final, o que levará a empresa para um futuro mais seguro e promissor.

Deixe seu comentário