Pesquisa ABB aponta IoT como fundamental na gestão de ativos de concessionárias de energia

0
0

Um levantamento global realizado pela ABB junto a mais de 200 executivos de concessionárias de energia, gás e água mostra que, cada vez mais, se acredita que a integração entre a TI e a Tecnologia Operacional (OT) é um componente chave para qualquer estratégia eficiente de gestão de ativos. Cerca de 80% consideram a integração IT-OT muito valiosa. Já 58% dos participantes tem, ou planeja ter, uma estratégia de melhoria da Internet das Coisas (Internet of Things – IoT) para a gestão de ativos e 55% relataram que a importância da gestão de ativos cresceu nos últimos 12 meses.

Interconectar coisas, serviços e pessoas através da Internet melhora a análise de dados, aumenta a produtividade e a confiabilidade, economiza energia e custos e gera novas oportunidades de receita a partir de modelos de negócios inovadores. Os serviços de Internet industrial e "nuvem" oferecem, ainda, o benefício de proporcionar análise de classe mundial ao alcance de instalações produtivas de menor porte. Por mais de uma década, a ABB tem desenvolvido e melhorado sistemas de controle de processos, soluções em comunicação, sensores e softwares que dão apoio ao conceito de Internet de Coisas, Serviços e Pessoas (IoTSP).

"Agora, mais do que nunca, as concessionárias veem a necessidade de unir tecnologias e sistemas antes díspares para melhor compreender sua base de ativos cada vez mais complexa e partilhar tal compreensão com as pessoas dentro da organização para melhorar o planejamento, a produtividade e a segurança", disse Massimo Danieli, diretor gerente da unidade de negócios de Grid Automation, dentro da divisão de Power Grids.

"Isso está totalmente alinhado com o foco da ABB na IoTSP como parte de nossa estratégia Next Level, e nosso portfólio abrangente nos deixa em uma posição ideal para dar apoio a nossos clientes na integração entre os mundos das tecnologias de informação e de operações. "

Aqueles que responderam à pesquisa veem inúmeros benefícios nessa integração. Em uma escala de 1-5, eles consideraram um melhor planejamento de longo prazo (4,86) como a prioridade máxima. Maior produtividade do pessoal (4,43), maior segurança (3,98) e melhor uso do capital (3,68) completaram a lista dos cinco mais importantes.

Deixe seu comentário