Angola Cables amplia extensão de projetos de pesquisa

0
0

A Angola Cables, em parceria com a Universidade Internacional da Flórida (FIU) dos EUA, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) do Brasil e a Rede Terciária de Educação e Pesquisa da África do Sul (TENET/SANReN) anunciam a ativação de uma rota digital entre as Américas até a África, para promover colaboração entre redes científicas e acadêmicas a nível intercontinental.

A rota terá capacidade inicial de 100Gbps e será conectada por meio dos cabos submarinos Monet, SACS e WACS pertencentes à multinacional. Estas iniciativas fazem parte do projeto da Américas África Research and eduCation Lightpaths (AARCLight).

Considerando o debate científico global da atualidade, este alinhamento entre entidades de elevado prestígio internacional irá aportar sinergias no desenvolvimento de vários campos de investigação das ciências, como física, astronomia e biologia.

A Angola Cables, o centro de excelência em pesquisa desenvolvido pela Universidade Internacional da Florida (Ampath) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa do Brasil, já estavam conectadas, inicialmente a 200Gbps, por meio do cabo Monet. Agora, com o projeto Amlight-SACS, a nova rota de 100Gbps será estendida desde Fortaleza, no Brasil (cidade onde atraca o cabo SACS e se situa o Data Center AngoNAP da multinacinal), até ao ponto de troca aberto (ZAOX) na Cidade do Cabo, na África do Sul. A conexão trará benefícios com relação à redundância e à resiliência da conectividade entre a rede de entidades de pesquisa e educação, fornecendo uma rota transatlântica direta e exclusiva entre a comunidade científica de ambos continentes.

O Data Center AngoNAP Fortaleza, pela sua localização estratégica, se posiciona  como um ponto central na ligação e interconexão entre as Redes académicas dos EUA e suas   entidades parceiras da África, através do Nordeste do Brasil, e pelo suporte da infraestrutura de sistemas de cabos submarinos da Angola Cables.

Deixe seu comentário