Universidade Federal do Paraná usa inteligência artificial para planejar retorno às aulas presenciais

0
79

A pandemia gerada pela Covid-19 desafiou diversos setores globalmente que tiveram que buscar soluções para se reinventarem. No Brasil não foi diferente, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), localizada no Município de Curitiba – PR, o reinventar está presente nos diferentes setores e cursos, cujas iniciativas se transformaram em ações diretas à sociedade, de várias formas, das mais simples as mais complexas, mas todas de grande importância.

Entretanto, o maior desafio para professores, pesquisadores e profissionais de educação é planejar um retorno seguro para toda comunidade acadêmica, considerando que a pandemia não acabou e, ainda, há muitas incertezas.

No Setor de Tecnologia, docentes e alunos dos cursos de Engenharia, com destaque ao mais antigo da Universidade, o curso de Engenharia Civil com 103 anos existência, estão unidos no desenvolvimento de métodos para avaliação e proposta de adaptação dos espaços físicos, mas como tecnologia inovadora que envolve equipamentos scanners 3D e uso de software cujas ferramentas disponíveis são capazes de representar os espaços e de propor alternativas de design, considerando distanciamento social, mobilidade e circulação de ar, como é o caso do Design Generativo disponível no Dynamo, ferramenta do Software Revit 2021/2022 da Autodesk.

O Design Generativo nada mais é que a inteligência artificial aplicada ao projeto. Na prática, o profissional define parâmetros do projeto em questão, que podem ser detalhados de várias formas e a tecnologia. Com isso, o software gera diversas opções de soluções com possibilidades variadas e que, na UFPR, está sendo aplicado para planejar os espaços físicos visando estabelecer um retorno gradual e seguro para todos os cursos.

A responsável pelo projeto na UFPR é a Profa. Dra. Selma A. Cubas, do departamento de Hidráulica e Saneamento, Curso de Engenharia Civil – Setor de Tecnologia. A iniciativa partiu em função de trabalhos anteriores que participou durante o ano de 2021, com o objetivo de fornecer orientações sanitárias e ambientais quanto aos cuidados durante a pandemia, visando principalmente áreas residenciais e comerciais.

Porém, a maior preocupação está em preparar as instituições de ensino, pesquisa e extensão para o retorno presencial, assim reuniu professores e alunos para repensar os espaços da própria instituição. A primeira discente a participar do projeto foi a aluna do curso de Engenharia Civil Fernanda Isadora Medeiros, que por meio do desenvolvimento do seu Trabalho de Final de Curso (TFC) e pelo interesse em tecnologia aplicada à AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção), pesquisou as possibilidades que o projeto generativo pode proporcionar.

O TFC foi inspirado por um tutorial de Zach Kron, gerente de produto da Autodesk, onde aplicou a ferramenta para replanejamento dois espaços da instituição considerados essenciais e, posteriormente, a metodologia desenvolvida foi repassada aos outros alunos que atualmente estão trabalhando na avaliação de todos os laboratórios do Setor de Tecnologia, visando um futuro Campus 4.0. A equipe discente participante do projeto chama-se Camaleão sendo que cada letra tem um significado: Comunicação, Adaptação, Motivação, Ação, Ligação, Estruturação, Atuação, Organização.

Dois espaços da universidade foram repensados com projeto generativo e já estão em funcionamento em conformidade com os protocolos sanitários. São eles:
– O Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI) que, por meio da avaliação com Design Generativo, foi determinar a capacidade máxima de pessoas no mesmo espaço, garantindo distanciamento de 2 m e área de 9 m2 por pessoa, número de colaboradores por turnos de trabalho e mudança de posição de trabalho do colaboradores. Com base na avaliação também foi elaborado um protocolo sanitário de uso do espaço e de segurança à saúde de todos.

– A área de ambulatórios do hospital veterinário, campus Curitiba: Neste caso foi possível estabelecer o número de pessoas que podem permanecer no mesmo ambulatório durante o atendimento, número de pessoas nas áreas de espera e na área de atendimento administrativo, mantendo distanciamento de 2 m e área de 9 m2 por pessoa, conforme protocolo do município. Desta forma, foi estabelecido que o atendimento fosse com hora marcada, sendo apenas duas pessoas por ambulatório, e que deve-se reservar dois ambulatórios para atendimento de emergência. Na área de espera, deverá permanecer apenas o tutor e na área de atendimento administrativo, apenas dois funcionários. Com base na avaliação foi elaborado o protocolo sanitário e de segurança à saúde. Em ambos os projetos também foram avaliados as questões da mobilidade e circulação de ar.

Para a avaliação dos espaços, foi utilizada uma planta em CAD que foi enviada para o REVIT 2021 para a modelagem em 3D, em seguida foi feita uma análise visual dos espaços e a depois o uso do Design Generativo, para comparação.

"O Curso de Engenharia Civil está passando por uma restruturação do currículo, o que possibilita implementar ferramentas de inovação em todas as disciplinas. Também está prevista a implantação de uma laboratório exclusivo para BIM o que possibilitará o melhor entendimento da tecnologia aplicada à projetos e assim ampliar o conhecimento dos nossos alunos para que cheguem preparados para o mercado de trabalho. Ou seja, nós professores entendemos que o BIM como ferramenta é um caminho a ser seguido na indústria de AEC", afirma a professora Selma.

Destaca-se ainda que a UFPR, por meio deste projeto, está estabelecendo uma parceria técnica com a Autodesk, com objetivo de ampliar o conhecimento e melhorar o aprendizado de todos os alunos dos cursos de engenharia. Também se destaca que o projeto pretende ampliar as ações para outras instituições de ensino.

Deixe seu comentário