Disponibilidade e qualidade dos dados influencia resultados dos negócios, diz pesquisa

0
6

Estudo encomendado pela Intersystems junto à IDC conclui que a descontinuidade dos dados ou a qualidade da conexão exerce influência direta sobre os resultados dos negócios. O levantamento revelou que organizações que utilizam tecnologias de extração, transferência e armazenamento (ETL, na sigla em inglês), e Captura de Dados Modificados (CDC, na sigla em inglês), estão lutando para acompanhar a demanda atual de análise de dados em tempo real, afetando negativamente as oportunidades de negócios e eficiência.

O estudo destaca ainda a crescente necessidade por uma análise de dados em tempo real confiável nas organizações empresariais, com mais de 75% dos entrevistados que acreditam ter perdido oportunidades de negócios por conta de dados atrasados e 27% alegaram que isto afeta negativamente a produtividade e a agilidade dentro das empresas. Dados tardios também estão atrasando o ritmo do negócio, com 54% dos entrevistados indicando limites de eficiência operacional.

Olhando para onde os dados estão perdendo relevância, a pesquisa revelou que dois terços dos dados transmitidos via ETL estavam, ao menos, cinco dias atrasados em relação ao tempo que chegou à um banco analítico. Quando se trata do sistema CDC, uma tecnologia de replicação de dados em tempo real, o estudo revela que demora, em média, 10 minutos ou mais para mover aproximadamente 65% dos dados para a análise do banco de dados. Isso se mostra problemático para a maioria das organizações, já que tomar decisões baseadas em dados em tempo real requerem a capacidade de combinar consultas analíticas, para transações em tempo real.

A pesquisa também descobriu que as organizações consideram importantes todos os novos tipos de dados, tornando mais alarmante o fato de que eles não estejam encontrando o caminho para os bancos de dados analíticos, onde possam impactar o negócio de forma mais imediata. De fato, dados relacionais, IoT, transmissão de dados de fontes externas, dados de sensores, gráficos, valores-chave, vídeo/áudio/imagem, objeto, documentos JSON e dados geoespaciais, foram todos considerados "muito importantes" pelas 502 organizações consultadas em diversos países, como Austrália, Brasil, China, Alemanha, Japão, Reino Unido e Estados Unidos.

Deixe seu comentário