Estudantes da rede pública de São Paulo terão material pedagógico em aplicativo

0
0

Após a liberação do uso de telefone celular em sala de aula para fins pedagógicos, em novembro, o governador Geraldo Alckmin e o secretário estadual de Educação, José Renato Nalini, anunciam o primeiro passo para a migração do papel para o digital de materiais pedagógicos voltados a alunos. Em parceria com Microsoftt e Digital Pages, o projeto levará, já no início do ano-letivo de 2018, o Caderno do Aluno de Matemática para um aplicativo, com toda a interação permitida pela ferramenta.

O projeto terá início em 39 escolas da Diretoria de Ensino (DE) Norte 2, na capital. Cerca de 8,2 mil adolescentes do 1º ano do Ensino Médio serão beneficiados pela iniciativa. Os estudantes também terão o Caderno do Aluno impresso em papel.

A disciplina de Matemática foi escolhida por se mostrar um grande desafio nacional nos últimos resultados de avaliações externas. Na mais recente avaliação disponível, referente a 2016, o Ensino Médio de São Paulo obteve a segunda melhor nota dos últimos sete anos em matemática – com queda entre 2015 e 2016. Por conta desta queda, a Secretaria da Educação tem investido em formação continuada para os professores com o objetivo de fazer com que a Matemática tenha mais sentido para os estudantes.

A plataforma desenvolvida em parceria com a Microsoft e Digital Pages funciona tanto como app em smartphones quanto na web. Após baixado, o aplicativo não precisa de acesso à internet para ser utilizado. Além do conteúdo do livro, os alunos poderão responder às questões digitalmente e ter acesso a vídeos, áudios, animações, simulações de objetos 3D e games. O programa ainda disponibiliza ferramentas de anotações, mensagens, fóruns, busca por termo ou conteúdo.

Para acompanhar o desempenho das turmas, o professor poderá ter informações como: quanto tempo o aluno passou em uma página, quais conteúdos ele percorreu e as respostas que forneceu em cada exercício proposto. Todos os docentes envolvidos no projeto-piloto passarão por treinamento na Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP), em parceria com a Digital Pages.

O conteúdo do livro digital, bem como as informações sobre a realização de atividades pelos alunos, ficará armazenado na plataforma de nuvem da Microsoft (Azure).

O projeto amplia outras ações já anunciadas pela Secretaria da Educação do Estado: expansão da rede de banda larga para as 5 mil escolas estaduais, implantação de Wi-Fi até outubro de 2018 – inicialmente nos laboratórios de informática e salas dos professores, com posterior expansão para as salas de aula -, aquisição de kits de notebooks para 400 escolas (40 aparelhos para cada escola), totalizando 16 mil máquinas, e liberação do uso do celular em sala de aula para fins pedagógicos.

Deixe seu comentário